MACHADO DE ASSIS



Estudos

Estudos sobre o autor e sua obra (Relação parcial)

Sistema de Busca:

Nome:
Título:
Editora:

 


Relação Completa:

ABREU, Modesto de. Machado de Assis. Rio de Janeiro; Norte ed., 1939.

______. Machado de Assis, mestre do conto e do verso. Anuário Brasileiro de Literatura, Rio de Janeiro, 1941.

______. A Obra-prima do humorismo machadiano: Memórias Póstumas de Brás Cubas. "Aspectos", Rio de Janeiro, 21-23, jun-out., 1939.

ABREU, Valdomiro de. Machado de Assis e um crítico. Araçatuba; 1943.

“Acadêmicos Homenageiam Escritor Machado de Assis”, A Tarde, Salvador, 22 abr. 1999.

AGUIAR, Luís Antônio. “Este Machado de Assis”, “O Escritor e seus Feitiços”, em Machado de Assis Novas Seletas. Rio de Janeiro: Ed. Nova Fronteira, 2002.

______. Almanaque Machado de Assis: vida, obra, curiosidades e bruxarias literárias. Rio de Janeiro: Ed. Record, 2008.

______. Tudo o que você queria saber sobre Machado de Assis num só livro. Rio de Janeiro: Ed. Record, 2008.

“Ainda o Bruxo”, Jornal de Letras, Rio de Janeiro, n.7, mar. 1999 [sobre O Olhar Oblíquo do Bruxo, de marta de Sena].

ALBUQUERQUE, Medeiros e.  Páginas de crítica....Rio de Janeiro; Leite Ribeiro & Maurílio, 1920.

______. Homens e Coisas da Academia Brasileira. Rio de Janeiro: Renascença, 1934.

ALVES, Constancio. Figuras. Rio de Janeiro; Ed. do Anuário do Brasil, 1921.

ALMEIDA, José Maurício Gomes de. Machado, Rosa e Cia.: ensaios sobre literatura e cultura. Rio de Janeiro: Topbooks, 2008. 298p.

ALENCAR, Mário de. Alguns escritos. Rio de Janeiro; H. Garnier, 1910.

ALMEIDA, Heloísa Lentz de. A vida amorosa de Machado de Assis. Rio de Janeiro, Livraria Central, 1939.

ALMEIDA, Marisa C. de, “A Teoria Antropológica das Imagens: Sua Aplicabilidade na Análise do Discurso Literário: ‘A Cartomante’: Machado de Assis”, em Anais Seminário Gel, São Paulo, Edusp, 1994, pp. 461-465.

ALMEIDA, Renato. Machado de Assis. Revista Americana, 6, 1918.

ALPI, Giusepe. "Introduzione Biografica e Note". In: ASSIS, Machado de. Memoire Postume de Braz Cubas. 1929.

“Ambigüidade Marca o Romance”, Folha de S. Paulo, São Paulo, 25 jun. 1999.

AMARAL, Andrey do. O  máximo e as máximas de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Ed. Ciência Moderna, 2008.

AMORIM, Celso. "Uma obra em Movimento". In: O obra de Machado de Assis. Ensaios premiados no 1º Concurso Internacional Machado de Assis. Ministério das Relações Exteriores. Governo Federal / 2006.

ANDRADE, Ana Luiza. Com o futuro nas mãos. Chapecó, Santa Catarina: Grifos, 1999.

______. “Cronologia da Vida Literária de Machado de Assis”, em Machado de Assis, Crônicas de Bond. Santa Catarina: Argos, 2001.

______. Transportes pelo olhar de Machado de Assis. “Passagens entre o livro e o jornal”. Chapecó, Santa Catarina: Grifos, 1999.

ANDRADE, Gentil de ( org.). Pensamentos e Reflexões de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1990.

ANDRADE, Almir. Machado de Assis, o Romancista. Revista do Brasil, Rio de Janeiro, 2, jun., 1939.

ANDRADE, Mário de. Aspectos da literatura brasileira. Rio de Janeiro; Americ-edit, 1924.

______. Aspectos da Literatura Brasileira. Rio de Janeiro, Americ-Edit., 1943.

______. "Contos e Contistas". In: O Empalhador de Passarinhos. 3a edição, São Paulo, Martins, 1972.


ANDRADE, Fernando Teixeira de, “Prefácio”, em Machado de Assis, Dom Casmurro, São Paulo, Objetivo, 1994, pp. V-VI.

ÂNGELO, Hersílio. Análise Literária: À Carolina. Revista do Livro, Rio de Janeiro, 3, set, 1958.

ANDREASSI, Lourdes, Décio, João e Retorno ao romance eterno: Dom Casmurro de Machado de Assis. Lisboa: 1972.

ANUÁRIO BRASILEIRO DE LITERATURA. Como imagina Capitu. Rio de Janeiro, 1940. ( Reportagem com caricaturistas e ilustradores ).

AMARAL, Amadeu. O elogio da mediocridade ( estudos e notas de literatura ). Sâo Paulo; Ed. Nova Era, 1924.

ARANHA, Graça. Machado de Assis e Joaquim Nabuco. Comentários e notas à correspondência entre esses dois escritores. Rio de Janeiro, Monteiro Lobato & Cia., 1923.

______. (Org.) Correspondência de Machado e Assis e Joaquim Nabuco. Prefácio à 3a edição de José Murilo de Carvalho.Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras / Topbooks, 2003.

ARARIPE JÚNIOR, Tristão de Alencar. Machado de Assis. Revista Brasileira, Rio de Janeiro, jan. 1895.

______. Obra Crítica de Araripe Júnior. (1888-1894 ). Rio de Janeiro, Fundação Casa de Rui Barbosa , 1960. Vol.2.

ARAUJO, Hugo Bressane de. O aspecto religioso da obra de Machado de Assis. Rio de Janeiro; Cruzada da boa imprensa, 1939.

ARNULFO, M. Irmão. A arte velada de Machado de Assis. Porto Alegre; Tip. Champagnat, 1958. Separata de Veritas, revista da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

ARRIGUCCI JR., Davi, “Obras do Acaso”, em Machado de Assis, Terpsicore, São Paulo, Boitempo, 1996, pp. 9-19 (escrito datado de abr. 1996).

ASSIS, Machado de. Adelaide Ristori. Folhetins, tradução em italiano de Barraco Francesca, Adelaide Ristori. Cronache, Aosta, Editora Keltia, 2012.

ASSIS, Machado de (1839-1908). Correspondência de Machado de Assis. Coordenação e orientação Sergio Paulo Rouanet; reunida, organizada e comentada por Irene Moutinho e Sílvia Eleutério. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, 2008-. v. (Coleção Afrânio Peixoto). Conteúdo: v.1. 1860-1869. – v.2. 1870-1889. – v.3. 1890-1900. – v.4. 1901-1904.

ASSIS, Machado de (1839-1908). Textos Inéditos em livro. Organização Mauro Rosso. 172 p.: fac-síms. (Coleção Afrânio Peixoto; vol. 102). Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, 2014.

ATHAIDE, Austregésilo de. Religião e Política na obra de Machado de Assis. Revista Brasileira, Rio de Janeiro, 17., 1946.

ATHAIDE, Tristão de. A Evolução do conto no Brasil. Academia Brasileira de Letras, Rio de Janeiro, 1958.

______. Machado de Assis, o Crítico. Revista do Brasil. Rio de Janeiro, 2, jun., 1939.

______. Três Ensaios sobre Machado de Assis. Rio de Janeiro, p. Bluhm, 1941.

AUSTREGÉSILO, Antônio. Alguns aspectos psicológicos de Machado de Assis. Revista da Academia Brasileira de Letras, Rio de Janeiro, 58, jul-dez., 1939.

AUTORES E LIVROS. A Manhã. Suplemento Literário, Rio de Janeiro, 28, set., 1941.

AVELAR, Idelber. "Ritmos do Popular no Erudito: Política e Música em Machado de Assis". In: O obra de Machado de Assis. Ensaios premiados no 1º Concurso Internacional Machado de Assis. Ministério das Relações Exteriores. Governo Federal / 2006.

ÁVILA, Aristides. O Contista número um da língua portuguesa. In: ASSIS, Machado de. Contos Fluminenses. São Paulo, Clube do Livro, 1959.

AZEREDO, Magalhães. Homens e Livros. Rio de Janeiro, Garnier, 1902.

AZEVEDO, Alvaro Augusto de Almeida. A linguagem de Machado de Assis. São Paulo; Revista dos Tribunais, 1944.

AZEVEDO, Sílvia Maria (org.). História de quinze dias, história de trinta dias: crônicas de Machado de Assis - Manassés. São Paulo: UNESP, 2011. 214p.

BAGBY, Albert I., Jr. Iaia Garcia. Lexington : UP of Kentucky, 1977.

BAGNO, Marcos (org.). Machado de Assis para principiantes. São Paulo: Ática, 1999.

BANDEIRA, João Carneiro Sousa. Páginas literárias. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1917.

BANDEIRA, Manuel. Apresentação da poesia brasileira. Rio de Janeiro,Casa do Estudante do Brasil, 1946.

______. Machado de Assis, poeta. Revista do Brasil, Rio de Janeiro, 2, jun. 1939.

BAPTISTA, Abel Barros. Autobibliografias: solicitação do livro na ficção de Machado de Assis. Lisboa, Editora Relógio d´Água, 1998.

______. Em nome do apelo do nome: duas interrogações sobre Machado de Assis. Lisboa, Editora Litoral, 1991.

______. “Instinto de Universalidade”, Folha de S. Paulo, São Paulo, 28 mar. 1999 [entrevista concedida a Adriano Schwartz].

BARBIERI, Ivo. "Nas dobras das ambiguidades de Esaú e Jacó". Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, 81, 1985.

______. 'O lapso' ou uma psicoterapia de humor. IN: JOBIM, José Luís. "A Biblioteca de Machado de Assis". Rio de Janeiro. ABL / Topbooks. 2000.

______. “Um Romance de Muitas Leituras”, em Ivo Barbieri (org.), Ler e Reescrever Quincas Borba. Rio de Janeiro: Eduerj, 2003.

______. “O Lapso ou uma Psicoterapia do Humor”, em José Luís Jobim (org.), A Biblioteca de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Topbooks, 2001.

BARBOSA, Francisco de Assis. Machado de Assis em miniatura. São Paulo; Ed. Melhoramentos, 1958.

______. "Machado de Assis e o mito de Apolo". Revista Brasileira, Rio de Janeiro, 1958.

______. O Romance, a Novela e o Conto no Brasil. Rio de Janeiro, MES, 1950.

BARBOSA, João Alexandre. “Magias Parciais de Dom Casmurro”, Cult, São Paulo, n. 24, pp. 60-63, jul. 1999.

BARBOSA, Rui. O Adeus da Academia a Machado de Assis. Rio de Janeiro, Casa de Rui Barbosa, 1958.

______. Machado, Herculano e Rio Branco. Org. Simões, 1950.

BARRACO, Francesca. Machado de Assis. Presenze italiane nell'opera di uno scrittore brasiliano, Aosta, Editora Keltia, 2009.

BARRACO, Francesca, Machado de Assis. Presença italiana na obra de um escritor brasileiro, tradução em português de Erica Salatini, São Paulo, Editora Nova Alexandria, 2013 (Estudos Italianos - Série Teses e Dissertações).

BARREIROS, Artur. Biografia de Machado de Assis. Rio de Janeiro, Lombaerts & Cia., 1884.

BARRETO Filho, José. Introdução a Machado de Assis. Rio de Janeiro; Livraria Agir, 1947.

______. "Machado de Assis". In: A Literatura do Brasil. Direção de Afrânio Coutinho, Rio de Janeiro, José Olympio/Niterói, UFF, 1986. Vol. 4.

______. " Machado de Assis". In: O Romance brasileiro. Org. por Aurélio Buarque de Holanda. Rio de Janeiro, O Cruzeiro, 1952.

______."O Romancista" . In: ASSIS, Machado de.Obra Completa. Rio de Janeiro, Aguilar, 1971. Vol. 1.

BARROS, Daniel Martins. Machado de Assis: As loucuras e as leis. São Paulo, Editora Brasiliense, 2011. 256p.

BARROS, Homero Batista de. Machado de Assis (Conferência).Curitiba, 1940.

BARROS, Manoel de.  “Meu Clássico”, O Globo, Rio de Janeiro, 3 jul. 1999 [elege Memorial de Aires].

BASTIDE, Roger. " Machado de Assis, Paisagista". Revista do Brasil. Rio de Janeiro, 3, nov., 1940.

BASTOS, Alcmeno, “A Homologia entre o Histórico e o Estórico em Esaú e Jaó”, Estudos de Literatura Brasileira, Rio de Janeiro, Faculdade de Letras – UFRJ, n. 4, pp. 15-23, 1994.

BASTOS, Dau. Machado de Assis: num recanto, um mundo inteiro. Rio de Janeiro: Garamond Editora, 2008.

BASTOS, Hermenegildo. “Machado de Assis nas Escolas”, Jornal de Brasília, Brasília, 7 abr. 1999.

BELLEI, Sérgio Luiz Prado. Machado de Assis: uma poética da nacionalidade. Ed. Travessia, 1989.

BELLO, José Maria. Inteligência do Brasil. Rio de Janeiro; Ed Nacional, 1938.

______. Novos estudos críticos. Rio de Janeiro; Rev. dos Tribunais, 1917.

______. Retrato de Machado de Assis. Rio de Janeiro; Ed. A Noite, 1952.

“Bentinho e José de Alencar Saem Derrotados”, Folha de S. Paulo, São Paulo, 25 jun. 1999.

BERARDINELLI, W. Medicina e médicos. Rio de Janeiro: José Olympio, 1951.

BERGO, Vittorio. "Machado de Assis e a Gramática". In: Sociedade Brasileira de Língua e Literatura. Estudos Universitários de Lingüística, Filologia e Literatura: homenagem ao Prof. Dr. Sílvio Elia. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, 1990, pp. 265-78.

BERNARDO, Gustavo; MICHAEL, Joachim; SCHAFFAUER, Markus (Org.) Machado de Assis e a Escravidão. São Paulo:  Annablume, 2010. 184p.

BERNIÈRES, Louis de. “Introduction”, em Machado de Assis, Philosopher or dog?, Londres, Bloomsbury, 1997, pp. I-IV [não numeradas no livro].

BERRINI, Beatriz. Eça e Machado. São Paulo: EDUC., 2005.

BETELLA, Gabriela kvacek. Bons Dias !: o funcionamento preciso da inteligência em terra de relógios desacertados – As crônicas de Machado de Assis. São Paulo: Ed. Revan, 2006.

______. Narradores de Machado de Assis. São Paulo: EDUSP, 2007.

BIRCHAL, Hennio Morgan. A Ironia e o "Humour" em Eça de Queiroz, Machado de Assis e Joaquim Paco d´Arcos. Separata da Revista " Bracara Augusta", tomo 30, fasc.69, 1981, Lisboa.

BITTENCOURT, Liberato. Machado de Assis ou o desrespeito ao ídolo acadêmico. Rio de Janeiro, Oficina do Ginásio 28 de Setembro, 1939.

BITTENCOURT, Mona. “Unidos na Vida e na Morte”, Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 22 abr. 1999.

BIZZARRI, Edoardo. Machado de Assis e a Itália. Sâo Paulo; Instituto Cultural Ítalo-Brasil, 1961.

BLAKE, Augusto Vitorino Alves Sacramento. Dicionário Bibliográfico Brasileiro. Rio de Janeiro, Imprensa Nacional, 1898.

BLOOM, Harold. Gênio:Os Cem autores mais Criativos da História da Literatura.Tradução de José Roberto O´Shea. Rio de Janeiro: Objetiva, 2003.

BORGES, Antônio Fernando. Braz, Quincas e Cia. Rio de Janeiro, Companhia das Letras, 2003.

______. Memorial de Buenos Aires. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

BORGES, Claber. Indícios homoeróticos em Dom Casmurro. Curitiba: Editora Appris Ltda., 2014. 107p.

BORGES, Dain. “Foreword”, em “Machado de Assis, Esaú and Jacob”. Nova York: Oxford University, 2000.

BOSI, Alfredo. História Concisa da Literatura Brasileira. São Paulo, Cultrix, 1970.

______. Machado de Assis: o enigma do olhar. São Paulo, Ed. Ática, 1999.

______. "A Máscara e a Fenda". In: Et alii Machado de Assis. São Paulo, Ática, 1982.

______. “Apresentação”, em Machado de Assis, Contos Fantásticos. São Paulo: Ática, 1973.

______. “Uma Figura Machadiana”, Esboço da Figura: Homenagem a Antônio Candido. São Paulo: Duas Cidades, 1979.

______. “Situaciones Machadianas”, em Machado de Assis, Cuentos. Caracas: Biblioteca Ayacucho, 1978.

______ (Organização). Machado de Assis – Antologia e Estudos. São Paulo: Ática, 1982.

______. Machado de Assis: O Enigma do Olhar. São Paulo: Ática, 1999.

______. Brás Cubas em Três Versões. São Paulo: Ed. Companhia das Letras, 2006.

BOSI, Alfredo. Machado de Assis: cadeira 23, ocupante 1 (fundador). Série Essencial. v. 27. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, 2011. 64p.

BOSI, Alfredo, GARBUGLIO,José Carlos, CURVELLO,Mario, FACIOLI, Valentim. Machado de Assis. Coleção Escritores Brasileiros: antologia e estudos. São Paulo, Ática, 1982.

BOTELHO, João da Costa. Primeiro centenário do nascimento de Machado de Assis, discurso proferido na sessão solene do Instituto Histórico e Geográfico do Pará no dia 21 de junho de 1939. Belém; Livraria Clássica, 1941.

BOTREL,J. F.; MASSA, J. M.; POUPET, A. Etudes luso-brésiliennes. Rennes : Fac. des Let. & Sci. Humaines, 1966.

BRANCHES, Victor. Dicionário Bibliográfico Luso-Brasileiro. São Paulo, Fundo de Cultura, 1965.

BRANCO, Joaquim. “Conto em Lá Menor”, Jornal Panorama, Cataguases, 27 jun. 1999.

BRANDÃO, Octávio. O niilista Machado de Assis. Rio de Janeiro; organização Simões, 1958.

BRAYNER, Sônia, “Machado de Assis e a Arte do Conto”, em Machado de Assis, Papéis Velhos e Outras Histórias, Rio de Janeiro, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, 1995, pp. 11-19.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Exposição Machado de Assis, centenário de nascimento de Machado de Assis, 1839-1939. Rio de Janeiro; MEC, 1939.

BRAYNER, Sônia. Labirinto do espaço romanesco. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1979.

BROCA, José Brito. Machado de Assis e a política e outros estudos. Rio de Janeiro; Organização Simões, 1957.

______. "A Literatura de Guerra no Brasil" . Cultura Política. Rio de Janeiro, 31, 1943.

______. "Na Década Modernista: Machado de Assis au dessus de la melée" . Revista do Livro, Rio de Janeiro, set., 1948.

______. Os inimigos de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1998.

BUENO, Alexei. “Machado Poeta”, em “Machado de Assis, Melhores Poemas”. São Paulo: Global, 2000. CALDWELL, Helen. The Brazilian Othello of Machado de Assis: A Study of "Dom Casmurro". Berkeley, University of California Press, 1960.

______. Counselor Ayres' Memorial. Berkeley : U. of Calif. P, 1973. 224 pp.

______. Introdução. MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Esau and Jacob. Berkeley: U. of California P., 1965.

______. Introdução. In: MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Counselor Ayres' Memorial. Berkeley: U. of Calif. P., 1972, 196 p.

______. Machado de Assis: the brazilian master and his novels. Berkeley: U. California, 1960. 194 p.

______. Machado de Assis: The Brazilian Master and His Novels. Berkeley : U. of Calif. P, 1970.

______. O Otelo Brasileiro de Machado de Assis. Ateliê Editorial, Rio de Janeiro, 2002.

______. Machado de Assis. Rio de Janeiro: Global. Coleção Melhores Poemas, 2008.

CAETANO, Maria do Rosário. “Cinema Brasileiro Deve uma Grande Adaptação”, Jornal de Brasília, Brasília, 7 abr. 1999.

CALHEIROS, Pedro. A Recepção de Machado de Assis em Portugal. Revista Travessia.

CÂMARA, Joaquim Mattoso. Ensaios machadianos. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1977. Em convênio com o Instituto Nacional do Livro, Ministério da Educação e Cultura.

CÂMARA JÚNIOR. J. Matoso. "Cão e Cachorro no Quincas Borba, de Machado de Assis". Revista de Cultura, Rio de Janeiro, 29, 1941.

______. "Machado de Assis e o Corvo de Edgard Poe" . Revista do Livro, Rio de Janeiro, 3, set. , 1958.

CAMARGO, Juracy. Festa dos personagens de Machado de Assis. Peça radiofônica, representada na Rádio Nacional, na data centenária de Machado de Assis. Cópia datilografada.

CAMPOS, Haroldo de. " Arte pobre, Tempo de pobresa, Poesia menos": In: ______. Os Pobres na Literatura Brasileira. São Paulo, Brasiliense, 1983.

CAMPEDELLI, Samira Youssef, Machado de Assis, São Paulo, Scipione, 1995, 96 p.

CÂNDIDO, Antônio. " Esquema de Machado de Assis". In: ______. Vários Escritos. São Paulo, Duas Cidades, 1970.

______. Literatura e Sociedade. São Paulo, Cia. Editora Nacional, 1980.

CANUTO, Ângela. Machado de Assis: Memórias de um frasista.Maceió: Edufal, 1999.

CARA, Salete de Almeida. "Machado de Assis", seleção de crônicas. Rio de Janeiro: Global, 2003.

______. “Prefácio”, em Machado de Assis, Melhores Crônicas. Rio de Janeiro: Global, 2003.

CARDIM, Elmano. Na Minha Seara. Rio de Janeiro, Tip. do Jornal do Comercio, 1949.

CARDOSO, Patrícia da Silva. Hoje amanuense. Amanhã diplomata?: a memória em "O amanuense Belmiro" e "Memorial de Aires". Letras, Curitiba, n. 47, p. 39-53, 1997.

CARDOSO, Wilton. Tempo e memória em Machado de Assis. Belo Horizonte; Estabelecimentos gráficos Santa Maria, 1958.

______. "Os olhos de Capitu. Ensaio de interpretação estilistica" . Kriterion., Belo Horizonte, out-dez., 1947.

CARPEAUX, Otto Maria. Pequena Bibliografia Crítica da Literatura Brasileira. Rio de Janeiro, Letras e Artes, 1964.

CARRER, Aline; GLEDSON, John. Rio de Assis - Imagens Machadianas do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 1999.

CARVALHAL, Tânia Franco. Towards the study of the canon in brazilian literature: Machado de Assis and Jean Ferdinand Denis. In: HENDRIX, Harold; KLOEK, Joost; LEVIE, Sophie; PEER, Will van (Ed.). The search for a new alphabet: literary studies in a changing world. Amsterdam: Benjamins, 1996.

CARVALHO, Affonso de. Machado de Assis. Palestra realizada em 30 de outubro de 1915 no salão da Sociedade Recreativa de Ribeirão Preto. São Paulo; Tipografia Tribuna da França, 1915.

CARVALHO, Alair Alves de. A estratégia do desvio da ênfase: um exercício de intertextualidade em Machado. In: ABRALIC. Anais. v. 2. Porto Alegre: ABRALIC, 1988. p. 206-211

CARVALHO Filho, Aloísio de. Machado de Assis e o problema penal. Salvador, Bahia; Livraria Progresso editora, 1959.

______. O processo penal de Capitu. Conferência na Academia de Letras da Bahia em 29 de setembro de 1958. Salvador; Imprensa Regina, s.d.

CARVALHO Filho, Francisco Aloysio de. et al. Machado de Assis. Salvador: Academia de Letras da Bahia; Universidade da Bahia, 1958.

CARVALHO Filho, Francisco Luís. “Adultério Era mais Grave”, Folha de S. Paulo, São Paulo, 25 jun. 1999.

CARVALHO, José Murilo de. “As Duas Repúblicas”, em Machado de Assis e Joaquim Nabuco: Correspondência. Rio de Janeiro: Topbooks / Academia Brasileira de Letras, 3. ed., 2003.

CAVALHO, Napoleão de. O que pensou e disse Machado de Assis. Rio de Janeiro: Dublin, 2004. 353 pgs.

CARVALHO, Ronald de. Pequena História da Literatura Brasileira. Rio de Janeiro, Briguiet, 1919.

CASASANTA, Mario. Machado de Assis, escritor nacional. Rio de Janeiro; Federação das Academias de Letras do Brasil, 1939. Separata do livro Machado de Assis (conferências).

______. Minas e os mineiros na obra de Machado de Assis. Belo Horizonte; Os Amigos do Livro, 1932.

______. Machado de Assis e o tédio à controvérsia. Belo Horizonte; Os Amigos do Livro, 1934.

CASTELO, José Aderaldo, em Dictionnaire universel dês littératures, Paris, Presses Universitaires de France, 1994, vol. II, pp. 2156-2158.

CASTELO, José Aderaldo. "O Ideário crítico de Machado de Assis". Revista de História. São Paulo, 11, jul-set., 1952.

______. Interpretações da obra de Machado de Assis. Lisboa, 1961.

______. Realidade e ilusão em Machado de Assis. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1969.

______. Machado de Assis: crítica. Rio de Janeiro: Agir, 1959. 107 p. (Nossos Clássicos; 38)

CASTRO, Manuel Antônio de. "O Enigma "É": Capitu ou Dom Casmurro?". Tempo Brasileiro. Rio de Janeiro, 33-34, 1973.

______. Realidade e Ilusão em Machado de Assis. São Paulo, Cia. Editora Nacional, 1969.

CASTRO, Moacir Werneck de. “Suje-se Gordo!”, Jornal do Brasil, Rio de Janeiro 11 maio 1999.

CASTRO, Silvio. Machado de Assis e a modernidade brasileira. Rio de Janeiro:  Academia Brasileira de Letras, 2009. 186p.

CASTRO, Válter de. Metáforas Machadianas. Estruturas e Funções. Brasília. Instituto Nacional do Livro/ Rio de Janeiro. Ao Livro Técnico. 1977.

CAVALCANTE, Djalma - Os contos completos de Machado de Assis. Prefácio de Arnaldo Niskier. Universidade Federal de Juiz de Fora em co-edição com a Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2003.

______. “Os Primeiros Contos que Machado Contou”, em Machado de Assis: Contos Completos, organizado por Djalma Cavalcante. São Paulo-Juiz de Fora: Imprensa Oficial-UFJF, 2003.

CÉSAR. Ana Cristina. Literatura Não é Documento. Rio de Janeiro, FUNARTE, 1980.

CHACON, Geraldo & Amzalak, José Luiz, “Conto Machadiano”, em Machado de Assis, Contos Escolhidos, (pela Fuvest), São Paulo, Buritis, 1994, pp. 9-10.

CHAGAS,Wilson. A fortuna crítica de Machado de Assis. Porto Alegre, RS, Brasil : Movimento, 1994.

CHALHOUB, Sidney. A história nas histórias de Machado d e Assis: uma interpretação de "Helena". Revista do Departamento de História - FAFCH/ Unversidade Federal de Minas Gerais, 1992.

______. e PEREIRA, Leonardo Affonso de Miranda (Org.). A História contada: capítulos de história social da literatura no Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1998. (Histórias do Brasil)

CHALHOUB, Sidney. Machado de Assis Historiador. São Paulo: Cia. das Letras, 2003.

CHAVES, Flávio Loureiro. O Mundo Social de Quincas Borba. Porto Alegre, Movimento. 1974.

______. Romances para estudo: "Esaú e Jacó". Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1976. 187 p.

CHAVES, Vania Pinheiro; MOREIRA, Lauro; CARDOSO, Solange Aparecida (Org.). Lembrar Machado de Assis 1908-2008. Lisboa: Centro de Literaturas de Expressão Portuguesa das Universidades de Lisboa: Missão do Brasil junto à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, 2009. 198 p.

CHEDIAK, Antonio José. Introdução ao texto crítico do "Quincas Borba". Rio de Janeiro; Instituto Nacional do Livro, s.d. Suplemento da Revista do Livro, 2.

______. Apêndice: Comissão Machado de Assis. In: MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Quincas Borba. Rio de Janeiro: INL, 1970. (Obras de Machado de Assis; 7)

CIACCHI, Andrea, “Introduzione”, em Machado de Assis ET altri, Messa del Gallo, Roma, Biblioteca del Vascello, 1994, pp. 7-10.

COELHO, Machado. Machado de Assis. Belém; Gráfica Norte, 1939.

COELHO, Marcia Maria e OLIVEIRA, Marcos Fleury de. "O bruxo do Cosme Velho - Machado de Assis no espelho". São Paulo: Alameda Editorial, 2005.

CONCÍGLIO, Mariazinha. A Ciranda de Machado. Lisboa: Universitária Editora, 1995.

______. A Ciranda de Machado. São Paulo, Editora Kansa, 1991.

CONDE, Hermínio de Brito. A tragédia ocular de Machado de Assis. Rio de Janeiro; Ed. A Noite, 1942.

______. La tragédia ocular de Machado de Assis. Tradução de  Elcira Pinticart. Buenos Aires; El Ateneo, 1947.

CONY, Carlos Heitor.”O Rio de Machado de Assis”, Guia de Programação, set. 1997 [sobre o documentário com esse título].

CORÇÃO, Gustavo. "Apresentação" . In: ASSIS, Machado de. Romance. Coleção Nossos Clássicos. Rio de Janeiro, Agir, 1959.

______. "Introdução". In: ASSIS, Machado de. Dom Casmurro. Edição crítica de Maximiano de Carvalho e Silva. São Paulo, Melhoramentos, 1965.

______. O desconcerto do mundo. Rio de Janeiro, Livraria Agir Editora, 1965.

______. "Machado de Assis Cronista.". In: ASSIS, Machado de. Obra Completa. Org. Afrânio Coutinho. Rio de Janeiro. Aguilar, 1979.

______. Machado de Assis cronista. In: MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Obra completa. v. 3. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1985. p. 325-331. {Diário de Notícias, [s.l.], 28 set.; 5 out. 1958.}

CORDEIRO, Francisco de Basto. Vultos que passaram (esboços biográficos). Rio de Janeiro; Ed. da Cultura intelectual  feminina, 1944.

______. Machado de Assis que eu vi. Rio de Janeiro; Liv. São José, 1961.

______. Machado de Assis na Intimidade. Rio de Janeiro, Pongetti, 1965.

CORREIA, Marlene de Castro. Afinidades entre bruxos: Machado de Assis e Carlos Drummond. In: SECCHIN, Antônio Carlos; ALMEIDA, José Maurício Gomes de; SOUZA, Ronaldes de Melo e (Org.). Machado de Assis: uma revisão. Rio de Janeiro: In-Fólio, 1998. p. 93-101.

COSTA, Benedito. Le Roman au Brésil. Paris, Garnier, 1918.

COSTA, Cecília. “O Descobrimento do Livro”, O Globo, Rio de Janeiro, 5 nov. 1999.

______. “O Sonho Possível: Capitu e Maria Eduarda Amigas”, O Globo, Rio de Janeiro, 15 maio 1999.

COSTA, Lígia Militz da. Ficção brasileira: paródia, história e labirintos - Chico Buarque, Josué Guimarães, Mario de Andrade, Roberto Bittencourt Martins, Luiz Antonio de Assis Brasi, Nélida Piñon, Machado de Assis. Santa Maria, Rio Grande do Sul, Universidade Federal de Santa Maria, 1995.

COSTA, Maria Velho da. Madame. Sobre textos de  Eça de Queiroz (Os Maias) e Machado de Assis (Dom Casmurro). Lisboa: Dom Quixote, 1999.

______. Madame: Sobre textos de Eça de Queirós (Os Maias) e Machado de Assis (Dom Casmurro). Lisboa: Dom Quixote, 1999. (Autores e língua portuguesa).

______. Madame: versão de cena: sobre textos de Eça e Queirós e Machado de Assis. Lisboa/Porto: Cotovia, Teatro Nacional São João, 2000.

COSTA, Oton. Conceitos e Afirmações. Rio de Janeiro, Pongetti, 1939.

COSTA, Pedro Pereira da Silva. A vida dos grandes brasileiros, 5: Machado de Assis. Série editada por Afonso Arinos de Mello Franco e Américo Jcobina Lacombe. São Paulo, Ed. Tres, 1974.

COUTINHO, Afrânio. A filosofia de Machado de Assis. Rio de Janeiro; Ed. Vecchi, 1940.

______. A filosofia de Machado de Assis e outros ensaios. Rio de Janeiro; Liv. São José, 1959.

______. Machado de Assis na Literatura Brasileira. Rio de Janeiro: Livraria São José, 1990.

______. "Machado de Assis e o problema do mestiço". Revista do Brasil, Rio de Janeiro, 3, fev., 1940.

______. A tradição afortunada: o espírito de nacionalidade na crítica brasileira. Rio de Janeiro: José Olympio, 1968.

______. Conceito de literatura brasileira. Petrópolis: Vozes, 1981.

______. Crítica e críticos. Rio de Janeiro: Simões, 1969. p. 195-199

______. Introdução: estudo crítico. In: MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Obra completa. v. 1. Organização: Afrânio Coutinho. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994.

______. Um Machado diferente. In: MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Obra completa. v. 3. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1985. p. 1027-1028

______. & SOUSA, J. Galante. Enciclopédia de Literatura Brasileira. 2 vol. Rio de Janeiro: MEC & Oficina Literária Afrânio Coutinho, 1995.

COUTO, José Geraldo. “Um Crítico do Brasil”, Folha de S. Paulo, São Paulo, 28 mar. 1999.

COUTO, Pedro do. Páginas de Crítica. Lisboa, Livraria Clássica A. M. Teixeira, 1906.

CRULS, Gastão. A Aparência do Rio de Janeiro. Notícia histórica e descritiva da cidade. Rio de Janeiro, José Olympio, 1949.

CRUZ Jr., Dílson F. Estratégias e Máscaras de um Fingidor. A Crônica de Machado de Assis. São Paulo, Nankin, 2002.

______, Dilson F. Estratégias e máscaras de um fingidor: a crônica de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Nankim Editorial, 2002.

CUNHA, Fausto. Caminhos reais, viagens imaginárias : estudo sobre os meios de transporte na ficção brasileira. Rio de Janeiro : Ministério dos Transportes, Centro de Documentação e Publicações, 1974.

CUNHA, José Lima. Revisão de Machado de Assis: exame de erros e ardis literários. Rio de Janeiro: Americana, 1973.

CUNHA, Patrícia Lessa Flores da. Machado de Assis, um escritor na capital dos trópicos. Porto Alegre: IEL. Editora Unisinos, 1998.

______. Poe e Machado: a experiência do conto americano. Cadernos do Instituto de Letras, Porto Alegre, n. 16, p. 71-78, dez. 1996.

CUNHA, Tristão da. "Contos de Machado de Assis". Revista do Brasil, Rio de Janeiro, 2, jun., 1939.

______. Cousas do tempo. Rio de Janeiro: Anuário do Brasil, 1922.

CURVELO, Mário. "Polcas para um Fausto Suburbano" . In: BOSI, Alfredo et alii. Machado de Assis. São Paulo, Ática, 1982.

______. Falsete à poesia de Machado de Assis. In: BOSI, Alfredo et. al. Machado de Assis. São Paulo: Ática, 1982. 526 p. (Coleção Escritores Brasileiros; 1. Antologia e Estudos) p. 477-496.

DALL´AGNOT, Rosângela de Sant`Anna. “Dom Casmurro: Uma proposta de entendimento psicológico”. Passo Fundo: Revista de Filosofia e Ciências Humanas, 2000.

DAMULAKIS, Gerana. “O Bruxo Revisitado”, A Tarde, Salvador, 1º mar. 1999 [sobre Contos/Uma Antologia, de Machado de Assis, organizado por John Gledson].

DANTAS, Júlio. Machado de Assis. Lisboa: Academia das Ciencias, 1940.

DÉCIO, João. "Aspectos do Romance Realista de Machado de Assis". Alfa, Marília, n. 3, p. 45-55, mar.1963 mar., 1963.

DELPECH, Adrien. "Préface".In: ASSIS, Machado de. Quelques Contes. Paris, Garnier, 1910.

DESSAU, Albert. Der mexikanische revolutionsroman. Berlin: Rutten & Lening, 1967.

DIMAS, Antônio. O espelho irônico de Machado: entrevista com John Gledson. Cult. Revista Brasileira de Literatura. São Paulo, n. 24, p. 42-50, jul. 1999. {El espejo irónico de Machado: entrevista com John Gledson. Cuadernos Hispanoamericanos, Madrid, n. 598, p. 35-45, abr. 2000.}

DINIZ, Camila; FIGUEIREDO, Fábio; OLIVEIRA, Anelito. O defunto e a escrita: Machado de Assis segundo Brás Cubas. Belo Horizonte: Orobó, 1999.

DINIZ, Edinha. "Machado de Assis". Rio de Janeiro, Ed. Moderna, 2003. Coleção Mestres da Literatura.

DIXON, Paul (Coord.). Machado de Assis: the nation and the world. Santa Barbara [Califórnia]: University of California, The Center for Portuguese Studies; Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, 2006. 184p.

DIXON, Paul B. Retired Dreams: "Dom Casmurro", myth and modernety. West Lafayette, Ind.: Purdue University Press, 1989.

______. Os contos de Machado de Assis : mais do que sonha a filosofia. Porto Alegre, RS, Brasil : Movimento, 1992.

DOMINGUES, Octávio. A concepção hereditária no "D. Casmurro". Rio de Janeiro; Ed. do Autor, 1941.

D'ONOFRIO, Salvatore. Conto Brasileiro: Quatro Leituras Petrópolis : Vozes., 1979.

DOYLE, Plínio (org). Machado de Assis, 15 volumes encadernados com recortes de jornais e revistas de/sobre Machado de Assis no período de 1939-1967. Arquivo Museu de Literatura da Fundação Casa de Rui Barbosa.

______. “Meu Clássico”, O Globo, Rio de Janeiro, 2 out. 1999.

DUARTE, Eduardo de Assis. Machado de Assis - Afro-descendente. Rio de Janeiro: Ed. Companhia das Letras, 2006.

DUTRA, Lia Correa. "Algumas Mulheres de Machado de Assis". Revista do Brasil. Rio de Janeiro, 2, jun. 1939.

EDWARDS, Jorge. "Machado de Assis"". Ed. Ômega, 2002.

“'Efeito Rosiska' Desmontou Acusação”, Folha de S. Paulo, São Paulo, 25 jun. 1999.

ELLIS, Keith. "Technique and Ambiguity in Dom Casmurro". Hispania, Washington, 45, 1962.

ESCÓSSIA, Fernanda da. “Dom Casmurro, 100, Chega à Internet e Enfrenta ‘Recriação’”, Folha de S. Paulo, São Paulo, 4 mar. 1999.

“Espaço Machado de Assis Será Inaugurado na ABL”, Jornal do Comércio, Rio de Janeiro, 12 dez. 1999.

ESTRELLA, Hairton Miceli e MONTEIRO, Ivan da Costa. A metalinguagem em Quincas Borba. Rio de Janeiro: Acadêmica, 78 p., 1973.

EULÁLIO, Alexandre. " De um Capítulo de Esaú e Jacó ao Painel do Último Baile" . Revista do Departamento de Filosofia da FFLCH da USP. São Paulo, 1983.

FACIOLI, Valentim. A crônica. In: BOSI, Alfredo et. al. Machado de Assis. São Paulo: Ática, 1982. p. 86-87.

______. Várias histórias para um homem célebre: biografia intelectual. In: BOSI, A. et al. Machado de Assis. São Paulo: Ática, 1982. p. 9-59

______. “A Fraude e a Gaforinha: A Crônica de Machado de Assis”, em Dílson F. Cruz Jr., Estratégias e Máscaras de um Fingidor. A Crônica de Machado de Assis. São Paulo, Nankin, 2002.

______. Um Defunto Estrambótico: Análise e Interpretação das “Memórias Póstumas de Brás Cubas”. São Paulo, Nankin, 2002

FAORO, Raimundo. Machado de Assis: A Pirâmide e o Trapézio. São Paulo, Cia. Editora Nacional, 1974.

FARACO, Carlos Alberto. Um mundo que se mostra por dentro e se esconde por fora. In:, MACHADO DE ASSIS Joaquim Maria. "O alienista". São Paulo: Ática, 1996. p. 1-30

FARIA, João Roberto. “A comédia refinada de Machado de Assis”, em Machado de Assis, Teatro. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

FARIA, João Roberto Gomes de. Idéias Teatrais e o Século XIX no Brasil. São Paulo: Perspectiva, 2001.

______. “Alencar e Machado: Breve Diálogo Epistolar”, em GALVÃO, Walnice Nogueira & GOTLIB, Nádia Battella, “Prezado Senhor, Prezada Senhora: Estudos sobre Cartas”. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

FAZENDA, José Vieira. Antiqualhas e Memórias do Rio de Janeiro. Questões e crônicas históricas. Rio de Janeiro, Imprensa Nacional, 1921.

FELINTO, Marilene. “Hoje Isso Tem o Nome de ‘Crítica-Ficção’”, Folha de S. Paulo, São Paulo, 4. mar. 1999 [sobre Dom Casmurro; Amor de Capitu, de Fernando Sabino; Capitu: Memórias Póstumas, de Domício Proença Filho].

FERNANDES, José Carlos. “Memórias Póstumas de Capitu”, Gazeta do Povo, Curitiba, 21 fev. 1999 [sobre o livro com este título de Domício  Proença Filho].

FERNANDES, Rinaldo de (Org.). Capitu mandou flores: contos para Machado de Assis nos cem anos de sua morte. Rio de Janeiro: Geração Editorial Ltda., 2008.

FERNANDES, Ronaldo Costa, O Narrador do  Romance, Rio de Janeiro, Sete Letras, 1996, pp. 66-79, 73, 75-76, 92-94, 103,  107, 109, 115, 117, 121-125, 129, 139.

FERNANDES, Sebastião. Figuras e Legendas. Rio de Janeiro, Pongetti, 1946.

FERREIRA, Eliane F. C. . Para traduzir o século XIX: Machado de Assis. São Paulo: Annablume e Academia Brasileira de Letras, 2004.

______. Machado de Assis sob as Luzes da Ribalta. 1. ed. São Paulo: Cone Sul, 1998. 224 p.

______. SARAIVA, J. A. ; BAPTISTA, A. B. ; HABERLY, D. T. ; MACEDO, H. ; PETIT, L. ; LISBOA, M. M. ; SENNA, M. ; DIXON, P. . Dom Casmurro e o plagiarismo múltiplo. In: Juracy Assmann Saraiva. (Org.). Nos labirintos de Dom Casmurro: ensaios críticos. 1 ed. Porto Alegre: PUCRS, 2005, v. , p. 61-82.

______. Contradições tradutológicas: o caso Machado de Assis. In: Paulo Sérgio Nolasco dos Santos. (Org.). Divergências e convergências em Literatura Comparada. 1 ed. Campo Grande: Editora da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, 2004, v. , p. 121-139.

______. REBELLO, L. ; CARVALHAL, T. F. . Tradução: visto permanente no passaporte virtual de Machado de Assis. In: Tânia Franco Carvalhal; Lúcia Sá Rebello; Eliane Fernanda Cunha Ferreira. (Org.). Transcriações: teoria e práticas. Porto Alegre: Evangraf, 2004, v. , p. 197-204.

______. Machado de Assis e o parasitismo tradutório. In: Cleudemar Alves Fernandes; João Bosco Cabral dos Santos. (Org.). Análise literária: tendências contemporâneas. Uberlândia: EdUFU, 2003, v. , p. -.

______. Machado e Camões:a citação enquanto tensão entre ficção e história. In: Eliana Amarante de Mendonça Mendes; Paulo Motta de Oliveira; Veronika Benn-Ibler. (Org.). Revisitações: edição comemorativa 30 anos da Faculdade de Letras da UFMG. Belo Horizonte: FALE/UFMG, 1999, v. 1, p. 405-410.

______. A antecipação da identidade crítica literária brasileira. In: Ricardo J. Kaliman. (Org.). Memorias de Jalla. 1a. ed. San Miguel de Tucumán: Universidad Nacional de Tucumán, 1997, v. 2, p. 546-552.

______. Uma proposta de globalização do crítico literário Machado de Assis. In: Eduardo Coutinho. (Org.). Cânones & Contextos. Rio de Janeiro: Abralic/CNPq, 1996, v. 2, p. 449-456.

ECHEVERRIA, Roberto González, Latin American Short Stories, Nova York, Oxford, 1997, p. 95 [pequena nota biográfica, antecedendo o conto Midnight Mass (Missa do Galo)].

FIGUEIREDO, José. “Sucesso Faz Brasil e Portugal Rirem Juntos no Final”, O Globo, Rio de Janeiro, 2 maio de 1999 [opinião de Augusto Abelaira sobre Machado].

FIGUEIREDO Neto, Antonio Cesário do. Na pista de Rocinante ( resposta ao Sr. Luís Murat). Cuiabá; Escola Prof. Salesianos, 1928. O autor refere-se aos artigos de Luis Murat Machado de Assis e Joaquim Nabuco, na Revista da Academia Brasileira de Letras, Rio de Janeiro, n. 56-57, v. XXI, 1926.

FILHO, Luís Anselmo. Rua Cosme Velho, 18: relato do restauro do mobiliário de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, 1998.

FISCHER, Luis Augusto. Machado e Borges e outros ensaios sobre Machado de Assis. Rio de Janeiro: Editora Arquipélago, 2008.

FITZ, Earl E. Machado de Assis. Boston: Twayne Publishers, 1989.

FONSECA, Gondim da. Machado de Assis e o hipopótamo. Biografia e análise. São Paulo; Ed. Fulgor, 1960.

______. Machado de Assis e o hipopótamo, uma revolução biográfica. São Paulo; Ed. Fulgor, 1960.

FOWKE, Edith. Dom Casmurro: Machado de Assis. Canadian Forum, 1953.

FRAGOSO, Augusto. "Achegas à Bibliografia Machadiana". Revista do Livro, Rio de Janeiro, 3, set., 1958.

FRANCE, Anatole. Machado de Assis et son oeuvre littéraire. Paris: L. Michaud, 1909.

FRANCISCO, Severino. “Conversa Inteligente sobre ficção”, Jornal de Brasília, Brasília, 7 abr. 1999 [ sobre Machado de Assis; Uma Revisão, de Antonio Carlos Secchin e outros].

FRANCO, Afonso Arinos de Melo. “O Velho Senado”, em Machado de Assis, O Velho Senado, edição comemorativa do nascimento de Machado de Assis. Brasília: Senado Federal, 1989.

FREIRE, Laudelino (dir.). Machado de Assis. Estante Clássica da Revista de Língua Portuguesa, vol. 2, jan. 1921. Rio de Janeiro: Typo-Litho.

______. Clássicos Brasileiros. Rio de Janeiro, Revista de Petrópolis, 1973.

FREITAS, Dylza. “Difícil Recriação Mantém encantamento”, O Globo, Rio de Janeiro, 13 fev. 1999 [sobre Capitu: Memórias Póstumas, de Domício Proença Filho].

______. “Um Século de uma Mulher voraz como a Ressaca”, O Globo, Rio de Janeiro, 13 fev. 1999 [sobre o centenário de Dom Casmurro].

FREITAS, Luís Paula. Perfil de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Ancora, 1947. 92 p.

FREITAS, Luiz Alberto Pinheiro de. Freud e Machado de Assis - Uma intercesão entre psicanálise e literatura. Editora Mauad, Rio de Janeiro, 2001.

FREITAS, Horácio Rolim de. Crônicas de Machado de Assis ou Crônicas Machadianas? Confluência. Rio de Janeiro: Liceu Literário Português, 16, 1998, p. 94-103.

FREITAS, Maria Eurides Pitombeira de. O Grotesco na Criação de Machado de Assis e Gregório de Matos. Rio de Janeiro, Presença, 1981.

FROSCH, Friedrich. "O tenebroso Problema da Patologia Cerebral. Algumas Considerações acerca d´O Alienista Machadiano". In: O obra de Machado de Assis. Ensaios premiados no 1º Concurso Internacional Machado de Assis. Ministério das Relações Exteriores. Governo Federal / 2006.

FUENTES, Carlos. Machado de la Mancha. México: Fondo de Cultura Econômica, 2001.

FURTADO, Celso. “O Que Faltou ao Brasil foi uma Revolução Política”, Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 2 out. 1999 [entrevista concedida a Rodrigo Alves. Referência a Machado].

G. M. (Gianluca Manzi), “Nota biobibliográfica”, em Machado de Assis,  Dom Casmurro, Roma, Fazi, 1997, pp. 291-294 [tradução de Gianluca Manzi e Lea Nachbin].

GALVÃO, Carlos Tadeu de Andrade. “Quincas Borba: Variantes Prenhes de Questões”, em Ivo Barbieri (org.), Ler e Reescrever Quincas Borba. Rio de Janeiro: Eduerj, 2003.

GARBUGLIO, J. C. "A Linguagem Política de Machado de Assis" . In: BOSI, Alfredo et alii. Machado de Assis. São Paulo, Ática, 1982.

GARCIA, José Gogoy. Aprendiz de Feiticeiro, Brasília, Thesaurus, 1997, pp. 39-51 [ensaio intitulado “Machado de Assis: Dom Casmurro”].

GERALDO, José. Redenção de Capitu. Brasília: Uniceub, 1999.

GLEDSON, John, “Introdução”, em Machado de Assis, A Semana, São Paulo, Hucitec, 1996, pp. 11-34.

GLEDSON, John. A História do Brasil em Papéis avulsos de Machado de Assis. In: CHALHOUB, Sidney; PEREIRA, Leonardo Affonso de Miranda (Org.). A História contada: capítulos de história social da literatura no Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1998. (Histórias do Brasil).

______.“Ele não Tem Descendentes Literários porque é Inimitável”, O Globo, Rio de Janeiro, 12 jun. 1999 [entrevista concedida a Cássia Maria Rodrigues].

______. “Geografia Mental”, Folha de S. Paulo, São Paulo, 28 mar. 1999.

______. (Ed.). Introdução. In: MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Contos: uma antologia. 2 v. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

______. (Introdução e notas). Bons Dias! (Crônicas de Machado de Assis). São Paulo, Hucitec, 1990.

______. "Machado de Assis between Romance and Satire: ´A Parasita Azul`" . In: What`s Past is Prologue: A Collection of Essays in Honour of L. J. Woodward. Edimburgh, Scottish Academic Press, 1984.

______. Machado de Assis: Ficção e História. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1986.

______. Machado de Assis: Impostura e Realismo. Uma reinterpretação de Dom Casmurro. Tradução de Fernando Py. São Paulo, Companhia das Letras, 1999

______. “Machado de Assis. O Rio de Janeiro em vários tempos”, em “Rio de Assis: imagens machadianas do Rio de Janeiro”. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 1999.

______. “Mestre da Língua Portuguesa”, Jornal de Brasília, Brasília, 7 abr. 1999 [entrevista concedida a Joseana Paganini].

______. “O Espelho Irônico de Machado”, Cult, São Paulo, n. 24, pp. 42-50, jul. 1999 [entrevista concedida a Antonio Dimas].

______. Por um novo Machado de Assis. Rio de Janeiro: Ed. Companhia das Letras, 2006.

______. “Rapto do Narrador”, Folha de S. Paulo, São Paulo, 28 mar. 1999.

______. The character of Capitu in Machado de Assis "Dom Casmurro" . In Portuguese at Leeds, edited by Lisa Jesse. Leeds: Trinity and All Saints College, 1995.

______. The Deceptive Realism of Machado de Assis. Francis Cacins, Liverpool, 1984.

______. “Tomei um Trem na Central e Fui Ver o Engenho Novo”, Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 11 dez. 1999 [entrevista concedida a Christiane Costa].

______. "Traduzindo Machado de Assis". In: O obra de Machado de Assis. Ensaios premiados no 1º Concurso Internacional Machado de Assis. Ministério das Relações Exteriores. Governo Federal / 2006.

______. Bons Dias!. São Paulo: UNICAMP, 2008.

______. 50 Contos de Machado de Assis. São Paulo: Companhia das Letras Ed., 2008.

GOMES, Eugênio. Aspectos do romance brasileiro. Bahia; Edição conjunta com a Universidade, 1959.

______. O enigma de Capitu, ensaio de interpretação. Rio de Janeiro; Liv. José Olympio, 1967. (Coleção Documentos Brasileiros, dirigida por Afonso Arinos de melo Franco).

______. Espelho contra espelho, estudos e ensaios. São Paulo; Instituto progresso Editorial, 1949.

______. Uma fonte de Machado de Assis. Rio de Janeiro; MEC - Serviço de Documentação. Separata de Cultura n.2, 1949.

______. Machado de Assis. Rio de Janeiro; Liv. São José, 1958.

______. Prata de casa (ensaios de literatura brasileira). Rio de Janeiro; Ed. A Noite, s.d.

______. Shakespeare no Brasil. Rio de Janeiro; Ministério da Educação e Cultura, Serviço de Documentação, 1961.

______. "O Testamento Estético de Machado de Assis" . Revista Brasileira, Rio de Janeiro, 21-22,1958.

______. Crônicas de Machado de Assis. Rio de Janeiro, Livraria Agir Editora, 1972.

______. Machado de Assis: Influências Inglesas. Rio de Janeiro : Pallas/INL, 1976. 123 pp.

______. Uma fonte francesa: Victor Hugo. [Cf. Brayner, Sônia. Labirinto do espaço romanesco: tradição e renovação da literatura brasileira: 1880 - 1920. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979. p. 114.].

GLEDSON, John. Crônicas Escolhidas – Seleção, Introdução e notas. São Paulo: Penguin Books, 2013. 336p

GLEDSON, John. “Os Contos de Machado de Assis: O Machete e o Violoncelo”, em Machado de Assis, Contos/Uma Antologia, São Paulo, Companhia das Letras, 1998, pp. 15-55 [referências Adriano Schwartz, “O Cálculo da Inércia”, Folha de S. Paulo, São Paulo, 22 nov. 1998; Leo Schlafman, “O Mestre do Conto”, Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 12 dez. 1998; Paulo Roberto Pires, ‘Cidade em Fragmentos”, O Globo, Rio de Janeiro, 15 dez. 1998; Massaud Moisés, “A Ironia e Sutileza Machadiana em uma Alentada  Antologia”, Jornal da Tarde,  São Paulo, 16 jan. 1999; Manya Millen & Paulo Roberto Pires, “A Querela dos Inéditos”, O Globo, Rio de Janeiro, 16 jan. 1999; Valéria Lamegos, “A síndrome dos Inéditos”, Veredas, Rio de Janeiro, jan. 1999; Gerana Damulakis, “O Bruxo Revisitado”, A Tarde, Salvador, 1º mar. 1999].

GOMES, Roberto. O alienista: loucura, poder e ciência. Tempo Social, São Paulo, v. 5, n. 1-2, p. 145-160, 1994.

GONÇALVES, Aguinaldo José, “O Alienista: Loucura Posta em Questão”, em Machado de Assis, O Alienista, São Paulo, FTD, 1994, pp. 7-14.

GONÇALVES, Marcos Augusto. “Capitu Absolvida”, Folha de S. Paulo, São Paulo, 25 jun. 1999 [sobre o julgamento de Capitu, por um júri formado por intelectuais e convidados, em comemoração aos 160 anos de nascimento de Machado].

GRACIOTTI, Mario. Introdução. MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Ricconti di Rio de Janeiro [Contos fluminenses]. Tradução: AGHITO, Lorenza. Milan: Casa Editrice, 1962.

GRAHAM, Richard. "Machado de Assis: Reflections on a Brazilian Master Writer". Austin, Texas - University of Texas Press, 1999.

______. (org.), Reflections on a Brazilien Master Writer. Austin: University of Texas Press, 1999 [ o livro é formado por quarto ensaios de autoria de John Gledson, João Adolfo Hansen, Sidney Chaloub e Daphne  Patai].

GRANJA, Lúcia. Machado de Assis, escritor em formação. Campinas: Mercado de Letras, 2000.

______. A língua engenhosa: o narrador de Machado de Assis, entre a invenção de histórias e a citação da História. In: CHALHOUB, Sidney; PEREIRA, Leonardo Affonso de Miranda (Org.). A História contada: capítulos de história social da literatura no Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1998. (Histórias do Brasil).

______. Machado de Assis, Escritor em Formação (à roda dos jornais). São Paulo: Fapesp / Mercado de Letras, 2001.

______; CANO, Jefferson (Org.). Comentários da Semana. São Paulo: UNICAMP, 2008.

______ ; GUIDIN, Marcia Ligia; RICIERI, Francine Weiss (Org.). Machado de Assis: ensaios da crítica contemporânea. São Paulo: UNESP, 2008.

GRAUOVÁ, Sarka, “Mrtvola, Ctenar a Brazilsky Hodinar”, em Machado de Assis, Posmrtné Pamerí BráseCubase (Memórias Póstumas de Brás Cubas, em tcheco).

GRIECO, Agripino. Machado de Assis. Rio de Janeiro; Liv. José Olympio, 1959.

______. Viagem em torno de Machado de Assis. São Paulo : Martins, 1969. 220 p.

GRIECO, Agrippino. Amigos e inimigos do Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1954. 320 p. (Obras completas de Agrippino Grieco; 9).

GRINBERG, Keila, Grinberg, Lucia e Almeida, Anita Correia Lima de,. Para conhecer Machado de Assis. 2005. Rio de Janeiro. Jorge Zahar Editor, 124 páginas.

GROPILLO, Ciléa. Machado de Assis. Um testemunho disperso, só reunido no sonho da sobrinha. Jornal do Brasil: 23 de junho de 1985. Caderno B.

GUERRA, Álvaro. Machado de Assis: sua Vida e suas Obras. São Paulo, Melhoramentos, 1923.

GUERRA, José A. Testemunhos de crítica. Recife : Univ. Federal de Pernambuco, 1974. 229 pp.

GUIDIN, Márcia Lígia. Armário de Vidro. A velhice em Machado de Assis. São Paulo: Nova Alexandria, 2000.

GUIMARÃES, Hélio de Seixas. Os Leitores de Machado de Assis. São Paulo: Nankin editorial / EDUSP, 2004.

GUIMARÃES, Hélio de Seixas (org.). Teresa. Revista de Literatura Brasileira. USP / Editora 34 / Imprensa Oficial do Estado, 2006.

______. Os leitores de Machado de Assis: o romance machadiano e o público de literatura no século 19. Rio de Janeiro: Nankim Editorial, 2004.

GULLAR, Ferreira. “Meu Clássico”, O Globo, Rio de Janeiro, 19 jun. 1999 [escolhe Dom Casmurro].

HANSEN, João Adolfo, “Dom Casmurro, the Fruit and Rind: An Afterword”, em Machado de Assis, Dom Casmurro, Nova York/Oxford University Press, 1997, pp. 245-258 [tradução de John Gledson].

HELLER, Agnes. O Cotidiano e a História. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1972.

HENRIQUES, Ana Lucia de Souza. Machado d Assis, leitor de Ossian. IN: JOBIM, José Luís. "A Biblioteca de Machado de Assis". Rio de Janeiro. ABL / Topbooks. 2000.

______. “Machado de Assis leitor de Ossian”, em José Luís Jobim (org.), A Biblioteca de Machado de Assis.Rio de Janeiro: Topbooks, 2001.

HENRIQUES, Claudio Cezar . Intervenções Metalinguísticas de Machado de Assis. In: Programas e Resumos da XVI Jornada de Estudos Linguísticos - GELNE. Fortaleza: UFC,1998, p.34.

______. Machado de Asis, estudioso da língua. IN: JOBIM, José Luís. "A Biblioteca de Machado de Assis". Rio de Janeiro. ABL / Topbooks. 2000.

______. Atas da Academia Brasileira de Letras – Presidência Machado de Assis (1896-1908). Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, 2001.

______. “Machado de Assis, Estudioso da Língua”, em José Luís Jobim (org.), A Biblioteca de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Topbooks, 2001.

HILL, Amariles Guimarães. A Crise da Diferença. Uma leitura das Memórias Póstumas de Brás Cubas. Rio de Janeiro, Cátedra/Brasília, INL, 1976.

HISTÓRICO e resumo das atividades da Comissão Machado de Assis. Separata da Revista do Livro n. 13, Rio de Janeiro.

HOLANDA, Aurélio Buarque de. "Linguagem e Estilo de Machado de Assis" Revista do Brasil, Rio de Janeiro, 2, jul-ago., 1939.

______. A cobra de vidro. São Paulo: [s. ed.], 1944.

HOUAISS, Antônio. Introdução ao texto crítico das Memórias póstumas de Brás Cubas. Rio de Janeiro; Instituto Nacional do Livro, s.d. Suplemento da Revista do Livro, 1.

______. Plano do dicionário das obras de Machado de Assis. Rio de Janeiro; Instituto Nacional do Livro, s.d. Separata da Revista do Livro.

______. Estudos Vários sobre Palavras, Livros, Autores Rio de Janeiro : Nova Fronteira, 1979.

HOURCADE, Pierre. Trois livres sur Machado de Assis. Lisbonne: Institut Français au Portugal, 1937.

IVO, Lêdo. " O Mar e o Pirilampo". Revista do Livro, Rio de Janeiro, 3, set. 1958.

______. Teoria e Celebração São Paulo : Duas Cidades, 1977.

______. Poesia Observada. Rio de Janeiro: Orfeu, 1967.

______. Confissões de um Poeta. Rio de Janeiro/Brasília: Difel/MEC, 1979.

______. O Aluno Relapso. São Paulo: Massao Ohno, 1991.

______. A República da Desilusão. Rio de Janeiro: Topbooks, 1994 [ensaio: “Um Clássico Ocidental”].

JACKSON, K. David. “A Metáfora Antropófaga”, Cult, São Paulo, n. 24, PP. 51-55, jul. 1999.

______. (Ed.). Transformations of literary language in Latin American literature: from Machado de Assis to the vanguards. Austin: U. of Texas at Austin, Abaporu, 1987.

JACQUES, Alfredo. Machado de Assis: Equívocos da Crítica. Porto Alegre, IEL / Movimento, 1974.

JANSEN, Roberta. “Mulher de Machado de Assis teria Escrito Parte de sua Obra”, Correio da Paraíba, João Pessoa, 11 abr. 1999.

JOBIM, José Luís. Por que é importante pesquisar a biblioteca pessoal de Machado de Assis? In: ANDRADE, Ana Luíza; CAMARGO, Maria Lúcia de Barros; ANTELO, Raúl (Org.). Leituras do ciclo. Florianópolis; Chapecó; ABRALIC, Grifos, 1999.

______. Por que é importante pesquisar a biblioteca pessoal de Machado de Assis?. Em Ana Luíza Andrade, Maria Lucia de Barros e Raul Antelo (org.). Leituras do Ciclo. Florianópolis/Chapecó: Abralic/Grifos, 1999.

______. (org.). A Biblioteca de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Topbooks, 2000.

______. "Machado de Assis, membro do Conservatório Dramático". IN: JOBIM, José Luís. "A Biblioteca de Machado de Assis". Rio de Janeiro. ABL / Topbooks. 2000.

JORNAL DE LETRAS. Rio de Janeiro, set., 1958. Número consagrado a Machado de Assis.

JUCÁ FILHO, Cândido. O Pensamento e a Expressão em Machado de Assis. Rio de Janeiro, L. Fernandes, 1939.

JUNQUEIRA, Ivan. Apresentação de Machado de Assis. São Paulo, Martins Fontes, 1987.

______. Introdução. In: O obra de Machado de Assis. Ensaios premiados no 1º Concurso Internacional Machado de Assis. Ministério das Relações Exteriores. Governo Federal / 2006.

LAJOLO, Marisa & Zilbermann, Regina, A Formação da Leitura no Brasil, São Paulo, Ática, 1996, pp. 20-39, 52053, 72-78, 94-102, 156-157, 245-247, 250-251, 254-357, 267-268, 276-280, 282-284.

KAISES, W. Fundamentos da interpretação e da análise literária. Coimbra: Armênio Amado, 1948.

KELLEY, Linda Murphy. An Analysis of the Development of the Feminine Image in Selected Novels by Machado de Assis. Tese de doutorado apresentada à Faculty of the Graduate School of Saint Louis University, 1978.

KELLY, Celso. Machado de Assis e outros pretextos... Rio de Janeiro, São José, 1972.

KINNEAR, John C. "Machado de Assis: to Believe or not to Believe". Modern Language Review, 71, 1976.

______. The Role of Dona Fernanda in Machado de Assis´ Novel "Quincas Borba". Münster, 1977.

KLOTZEL, André. “Uma Questão de Fidelidade”, em Machado de Assis – Memórias Póstumas de Brás Cubas. São Paulo: Sá Editora, 2001.

KNOWLTON JUNIOR, Edgar C. e SOUSA, J. Galante. Machado de Asis and his Lira Chinesa. Bibliografia de Machado de Assis. Macau: Imprensa Nacional, 1976.

KORACAKIS, Teodoro. “A Singularidade de Dona Fernanda”, em Ivo Barbieri (org.), Ler e Reescrever Quincas Borba. Rio de Janeiro: Eduerj, 2003.

KOTHE, Flávio R. O Cânone Brasileiro. Brasília: UNB, 2001

KRAEMER, Armand. Os romances de Machado de Assis. Porto Alegre : Sulina, 1971. 85 p. (Coleção Pereira Coruja)

KUJAWSKI, Gilberto de Mello. Machado de Assis Por Dentro. São Paulo: Migalhas, 2011. 132p.

LAET, Carlos de. O frade estrangeiro e outros escritos.Rio de Janeiro; Academia Brasileira de Letras, 1953.

______. "Machado de Assis" . In: Obras Seletas. Rio de Janeiro, Agir, FCRB / INL, 1983.
LAJOLO, Marisa. Machado de Assis. São Paulo: Abril Educação, 1980. 108 p. (Literatura comentada).

LAMEGO, Valéria. “A Síndrome dos Inéditos”, Veredas, Rio de Janeiro, PP. 6-8, jan. 1999 [sobre Contos/Uma Antologia, de Machado de Assis, organizado por John Gledson].

LÊ, Linda, “Dom Casmurro”, em Machado de Assis, Dom Casmurro, Paris, Albin Michel, 1997, pp. 1-2 [tradução de Francis de Miomandre].

LEAL, César. Os cavaleiros de Júpiter. Ensaios. Recife, Universidade Federal de Pernambuco, 1969.

LEAL, Cláudio Murilo. A poesia de Machado de Assis. Rio de Janeiro. Ed. Ludens, 2008, 205 p.

LEAL, Claudio Murilo (Org.). Toda poesia de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Record, 2008.

LEÃO, Múcio. Ensaios contemporâneos. Rio de Janeiro; Edição da Revista de língua portuguêsa, 1923.

______. "O Contista Machado de Assis". In: Academia Brasileira de Letras. Curso de Conto. Rio de Janeiro, 1958.

______. "O Romance de Machado de Assis" In: Academia Brasileira de Letras. Curso de Romance. Rio de Janeiro, 1952.

LEITE Filho, José Barreto. Introdução a Machado de Assis. Rio de Janeiro: Agir, 1947. 270 p. {2. ed.: 1980}.

“Leitura de Contos de Machado de Assis Abre o Projeto Paixão de Ler”, O Globo, Rio de Janeiro, 6 nov. 1999.

LEON, Jorge Romero, Retórica de Imaginación Urban: La  Ciudad y Sus Sujetos em Cecília Valdes y Quincas Borba, Caracas, Celarg, 1997, 78 p.

LIMA, Alceu Amoroso. Três ensaios sobre Machado de Assis.   Belo Horizonte; Ed. Paulo Bluhm, 1941.

LIMA, Herman. Variações sobre o conto. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Cultura, Serviço de Documentação, 1952.

LIMA, José da Cunha. Revisão de Machado de Assis: exame de erros e ardis literários. Rio de Janeiro: Americana,1973.

LIMA, Luís Costa. "Machado de Assis e a estabilidade Imperial " . Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, 71, 1982.

______. "Machado e a inversão do veto". In: O Controle do Imaginário. São Paulo, Brasiliense, 1984.

______. "Sob a face de um bruxo" . In: Dispersa Demanda. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1981.

LIMA, Manuel de Oliveira. " Machado de Assis et son oeuvre littéraire" . In: Machado de Assis et son oeuvre l ittéraire. Paris, Louis-Michaud, 1909.

LIMA, Mário de Almeida, em Machado de Assis, Iaiá Garcia, Porto Alegre, L&PM, 1997, pp. 3-9.

LIMA, Mario de Almeida, em Machado de Assis, Quincas Borba, Porto Alegre, L&PM, 1997, pp. 3-10.

LIMA, Mário de Almeida. “O Mistério de Capitu”, em Machado de Assis, Dom Casmurro, Porto Alegre, L&PM, 1997, pp. 3-10.

LIMA E SILVA, Marcia Ivana de, “Apresentação”, em Machado de Assis, Cinco Histórias do Bruxo do Cosme Velho, Porto Alegre, Projeto, 1995, pp. 7-9.

LINHARES FILHO. A metáfora do mar no Dom Casmurro. Rio de Janeiro : Edições Tempo Brasileiro, 1978.

LINHARES, Temístocles. História Crítica do Romance Brasileiro. Belo Horizonte, Itatiaia/ São Paulo, EDUSP, 1987.

LITRENTO, Oliveiros. “Os Inimigos de machado de Assis”, Jornal do Comércio, Rio de janeiro, 24 abr. 1999 [sobre o livro com este título de Josué Montello].

LISBOA, Maria Manuel. Machado de Assis and Feminism: Re-reading the Heart of the Companion. Lewinston, Queenston, Lampeter: Edwin Mellen Press, 1996.

LISBOA, Maria Manuela Gabão. “Machado de Assis and the Beloved Reader: Squatters in the Text”, em Nicolas White & Naomi Segal, Scarlet Letters: Fictions of Adultery from Antiquity to the 1990’s, Houndmills, Nova York, 1997.

LOBO, Luiza. As metáforas do humor em Machado de Assis. IN: Críticas sem juízo. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1993.

LOPES, Denise. “Machado de Assis de Volta ao Rio”, Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 21 abr. 1999.

LOPES, José Leme. A psiquiatria de Machado de Assis. Rio de Janeiro, Livraria Agir Editora, 1974.

LOPES, Lucia Leite Ribeiro Prado.  Machado de A a X. Rio de Janeiro: Editora 34, 2001.

LOYOLA, Cecília. Machado de Assis e o Teatro das Convenções, Rio de Janeiro, Uape, 1997, 298 p. [referências: “Livro Revê Teatro de Machado”, Folha de S. Paulo, São Paulo, 13 fev. 1998].

LYRA, Heitor. Eça de Queiroz e Machado de Assis. Coimbra, Universidade de Coimbra, 1966. Separata do "V Colóquio Internacional de Estudos Luso-Brasileiros".

LUCA, Heloísa Helena Paiva de. Apresentação. In: BALAS de estalo de Machado de Assis: edição completa e comentada. Organização: H. H. P. de Luca. São Paulo: Annalume, 1998.

LUCAS, Fábio. "Apresentação". In: ASSIS, Machado de Dom Casmurro. São Paulo, Ática, 1985.

MAC ADAM, Alfred A. Modern Latin-American Narratives: The Dreams of Reason. Chicago. Chicago University Press, 1977.

______. La retórica de los celos: "Dom Casmurro". In Carnal Knowledge: Essays on the Flesh, Sex and Sexuality in Hispanic Letters and Film, Ed. Pamela Bacarisse, Pittsburgh: Ediciones Tres Ríos.

______. “The Rhetoric of Jealousy: Dom Casmurro”, Hispanic Review, Filadélfia, pp. 51-62, jan.-mar. 1999.

MACADAM, Alfred J. “The Rhetoric of Jealousy: Dom Casmurro”, Hispanic Review, Filadélfia, pp. 51-62, jan.-mar. 1999.

“Machadianos”, Zero Hora, Porto Alegre, 14 ago. 1999.

Machado, Cassiano Elek. “Advogado Ataca com Pelé, Jango, Otto Lara e ‘Mosaico de Indícios’”, Folha de S. Paulo, São Paulo,  25 jun. 1999.

“Machado de Assis é Tema de Debate”, Folha de S. Paulo, São Paulo, 19 set. 1999.

“Machado de Assis: O Brasileiro do Século. Categoria Literatura”, IstoÉ, Rio de Janeiro, 28 abr. 1999.

“Machado e Psicanálise”, O Globo, Rio de Janeiro, 3 abr. 1999.

MACHADO, Ana Maria. Machado de Assis: um autor em perspectiva. São Paulo, Global: Academia Brasileira de Letras, 2013. 224p.

MACHADO, José Bettencourt. Machado of Brazil. The life and times of Machado de Assis. New York, Bramerica, 1953.

MACHADO, Leão. Machado de Assis, funcionário público. Palestra pronunciada em Campinas, em 27 de julho de 1939, no Centro de Ciências, Letras e Artes, São Paulo, Typ. Brasil, 1941.

MACHADO, Ubiratan (Org.) Roteiro da Consagração. Rio de Janeiro: Ed. UERJ, 2003.

MACHADO, Ubiratan. “Apresentação”, em Ubiratan Machado (org.), Machado de Assis: Roteiro da Consagração. Rio de Janeiro: Eduerj, 2003.

MACHADO, Ubiratan, Anatole France e o Brasil, Rio de Janeiro, Editora Machado de Assis, 1994, pp. 22-23 e 67-68.

MACHADO, Ubiratan. Bibliografia Machadiana. São Paulo: Edusp, 2005.

______. Três vezes Machado de Assis. Rio de Janeiro: Ateliê Editorial, 2007.

______. Dicionário de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, 2008.

MACHADO de Assis, entretien no Palácio do Itamaraty, a 23 de junho de 1939... Rio de Janeiro, Ministério das Relações Exteriores, Divisão de Cooperação Intelectual, 1939. Conferências de: Elmano Cardim, Bueno do Prado, Peregrino Junior, Renato Almeida, Teixeira Soares, Miguel Osório de Almeida. Encerramento pelo ministro Oswaldo Aranha.

MACHADO Vive: dedicatórias. Apresentação, Cícero Sandroni. Textos, Murilo Melo Filho, Alexei Bueno. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, 2009. 348p.

MACHADO Vive: exposição comemorativa de 100 anos de morte de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, 2009. 175 p.

MADEIRA, Wagner Martins. Machado de Assis: Homem Lúdico. São Paulo : Annablume / Fapesp, 2001.

MAGALHÃES Júnior, Raimundo. Machado de Assis, desconhecido. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1955.

______. Machado de Assis desconhecido. São Paulo, Editora Lisa-Livros Irradiantes, 1971.

______. Machado de Assis, funcionário público (no Império e na República). Rio de Janeiro; Ministério da Viação e Obras Públicas, Serviço de Documentação, 1958.

______. Ao redor de Machado de Assis (pesquisas e interpretações). Rio de Janeiro; Civilização Brasileira, 1958.

______. Machado de Assis e Charles Lamb. Revista do Livro, Rio de Janeiro, 3 (II), set. 1958.

______. Machado de Assis e sua pretendida indiferença política. Planalto. São Paulo, 10 (I), out. 1941.

______. (Seleção e apresentação). Contos sem data. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1956.

______. (Seleção e apresentação). Crônicas do Lélio. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1958.

______. ( Seleção e apresentação). Contos fantásticos. Rio de Janeiro, Bloch Editores, 1973.

______. Vida e Obra de Machado de Assis. 4 vols. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1981.

______. Vida e Obra de Machado de Assis: Ascenção. Rio de Janeiro, Editora Civilização Brasileira, 1981.

______. Idéias e imagens de Machado de Assis: dicionário antológico, com mil verbetes, abrangendo toda a obra machadiana, desde a colaboração em A Marmota ate o Memorial de Aires. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1956. 220 p.

MAGALDI, Sábato. Preparação de um Romancista. IN: “Panorama do Teatro Brasileiro”. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1962.

MAIA, Alcides. Machado de Assis: Algumas Notas sobre o "Humour". Rio de Janeiro, Jacinto Silva, 1912.

MAIA Neto, José Raimundo. Machado de Assis: brazilian pyrrhonian. West Lafayette: Purdue UP, 1994.

MAINARDI, Diogo. “Machado, Foice e Martelo”, Veja, São Paulo, 31 mar. 1999.

MALARD, Letícia. A vida do defunto autor. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

MALPIQUE, Cruz. "Para um possível perfil de Machado de Assis" . Brasília, Coimbra, 1946.

MANGABEIRA, Octavio. Machado de Assis. Rio de Janeiro; Civilização Brasileira, 1954.

______. Machado de Assis. Seus Contos e Romances em Ponto Pequeno. Rio de Janeiro, José Olympio, 1954.

MANHÃS, Maria. "Quincas Borba. Considerações sobre o Livro de Machado de Assis" . In: Psicologia da Mulher e outros trabalhos. Rio de Janeiro, Atheneu, 1977.

MARANHÃO, Haroldo. Memorial do fim: a morte de Machado de Assis. São Paulo: Marco Zero, 1991. 185 p.

MARCONDES, Ayrton. Por onde andará Machado de Assis?. Nankin Editorial, 2006.

______. Machado de Assis: exercícios de admiração. Rio de Janeiro: A Girafa, 2008.

MARETTI, Maria Lídia L., “Isto Acaba! Uma Leitura do Conto D.Benedita: Um Retrato de Machado de Assis”, Remate de Males, Campinas, n. 14, pp.111-128, 1994.

MARIANO, Ana Salles & OLIVEIRA Maria Rosa Duarte de. Recortes Machadianos. São Paulo: EDUSC/Fapesp, 2003.

______. Recortes machadianos. Rio de Janeiro: Nankim Editorial, 2008.

MARINHO, João. Machado de Assis, precursor da acentuação ortográfica atual. Separata do Jornal do Comércio de 25 de junho de 1939.

MARINS, Alvaro. Páginas esquecidas. Uma antologia diferente de contos machadianos. Rio de Janeiro: Ed. Língua Geral, 2008.

MAROBIN, Luiz. Símbolos, arquétipos e mitos em Machado de Assis. Tese ao concurso para livre-docência da cadeira de literatura da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade do Rio Grande do Sul. Porto Alegre; Ed. Meridional, 1963.

MARQUES, Xavier. Ensaios. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, 1944.

MARTINS, Wilson. “Leituras Machadianas”, O Globo, Rio de janeiro, 1º maio 1999 [sobre Machado de Assis: O Enigma do Olhar, de Alfredo Bosi].

______. “Mortos Ilustres”, O Globo, Rio de Janeiro, 27 mar. 1999.

MARTINEZ, Mariana. “Mistério de Capitu Faz Cem Anos”, Jornal do Comércio, Rio de Janeiro, 21 fev. 1999.

MARTINS, Wilson. A crítica literária no Brasil. v. 1. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1983. p. 169-174.

______. “Leituras Machadianas”, O Globo, Rio de janeiro, 1º maio 1999 [sobre Machado de Assis: O Enigma do Olhar, de Alfredo Bosi].

______. História da inteligência brasileira: 1855 - 1877. v. 3. 2. ed. São Paulo: Queiroz Editor, 1996. (Coroa Vermelha)

MASSA, Jean Michel. La bibliothèque de Machado de Assis. Separata da Revista do Livro, n. 21-22. Mar-jun, 1961.

______. La conaissance du grec chez Machado de Assis. Separata do Bulletin de la Faculté des Lettres de Strasbourg, ano 43, Abril, 1965.

______. Machado de Assis traducteur. Coimbra, 1966. Separata do v. IV das Atas do V Colóquio Internacional de estudos Luso-brasileiros.

______. La presence de Dante dan l´oeuvre de Machado de Assis. In: Études luso-brésiliennes por J.F.Botrel. Paris; Presses Universitaires de France, 1966.

______. "Autour de Machado de Assis. Caroline: Quelques Documents Retrouvés". Bulletin de la Faculté des Lettres de Strasbourg. Strasbourg, 2, mai-jun, 1964.

______. Dispersos de Machado de Assis. Rio de Janeiro, INL / MEC, 1965.

______. A Juventude de Machado de Assis (1839-1870). Ensaio de biografia intelectual. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1971.

______. Um ami portugais de Machado de Assis: Antonio Moutinho de Sousa. Lisboa: Fac. Letras, 1971. Separata da Rev. Fac. Letras de Lisboa, 3a Ser., 13.

______. La jeunesse de Machado de Assis 1839-1870: essai de biographie intelectuelle. Poitiers: 1969. Tese de doutoramento pela Faculdade e Letras e Ciências Humanas de Poitiers.

______. Bibliographie descriptive, analytique et critique de Machado de Assis; IV: 1957-1958. Rio de Janeiro : Livraria São José, 1965.

______. “Quarenta Anos depois”, em José Luís Jobim (org.), A Biblioteca de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Topbooks, 2001.

MATOS, Mario. Machado de Assis, o homem e a obra, os personagens explicam o autor. São Paulo, Ed. Nacional, 1939.

______. O personagem persegue o autor .Rio de Janeiro; Ed. O Cruzeiro, 1945.

______. "O Teatrólogo". In: ASSIS, Machado de . Obra Completa. Org. Por Afrânio Coutinho. Rio de Janeiro, Aguilar, 1959.

MATOS, Miguel (Org.). Migalhas de Machado de Assis. São Paulo: Migalhas, 2008. 320 p. Este livro possui mais de 1000 frases, em toda a verve machadiana.

MAUROIS, André. " Machado de Assis". Nouvelles Littéraires, Paris, juil., 1948.

MAYA, Alcides. Machado de Assis (algumas notas sobre o humor). Rio de Janeiro; Liv. Ed. Jacinto Silva, 1912.

MENNUCI, Sud. Machado de Assis. São Paulo: [s. ed.], 1943.

MELO, Gladstone Chaves de. Machado de Assis, defensor do homem. Coimbra, s.ed.,1964.

______. Le sens profond de l´oeuvre de Machado de Assis. Louvain: Centre d´Études Portugais et Brésilliennes, 1975.

MELO, Maria Elizabeth Chaves de. Machado de Assis, leitor de Lawrence Stern. IN: JOBIM, José Luís. "A Biblioteca de Machado de Assis". Rio de Janeiro. ABL / Topbooks. 2000.

______. “Machado de Assis, Leitor de Lawrence Sterne”, em José Luís Jobim (org.), A Biblioteca de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Topbooks, 2001.

MELO E SOUSA, Ronaldes de. “Narrativa Teatralizada do Real”, Jornal de Brasília, Brasília, 7 abr. 1999 [entrevista concedida a Severino Francisco]. 

MENDONÇA, Antônio Sérgio. "Pour Lire la Capitu (ou como ver através dos olhos de uma cigana oblíqua e disimulada)". Revista de Cultura Vozes, Petrópolis, 5, mar., 1971.

MENEZES, Carlos. “Memórias Póstumas de Capitu”, O Correio, Rio de Janeiro, 16 a 30 abr. 1999.

MENEZES, Cynara. “’Bentinho é Paranóico’, Argumenta Advogada de Capitu”, Folha de S. Paulo, São Paulo, 25 jun. 1999.

Merriam Webster’s. Encyclopedia of Literature, Springfield, Merriam-Webster, 1995, p. 708.

MERQUIOR, José Guilherme. De Anchieta a Euclides: Breve história da literatura brasileira. Rio de Janeiro, José Olympio, 1977.

______. "Gênero e estilo nas Memórias Póstumas de Brás Cubas". Colóquio/Letras. Lisboa, 8, 1972.

______. O romance carnavalesco de Machado de Assis. IN: "Machado de Assis, Memórias póstumas de Brás Cubas". Rio de Janeiro, Ática Ed., 1991.

______. De Anchieta a Euclides: breve história da literatura brasileira. v. 1. Rio de Janeiro: Topbooks, 1966.

______. O romance carnavalesco de Machado. In: MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Memórias póstumas de Brás Cubas. 8. ed. São Paulo: Ática, 1981. p. 5-9

MEYER, Augusto. Preto & Branco. Rio de Janeiro; Instituto Nacional do Livro, 1956.

______. À sombra da estante (ensaios). Rio de Janeiro; José Olympio, 1947.

______. Machado de Assis. Rio de Janeiro; Liv. do Globo, 1935.

______. A Chave e a Máscara. Rio de Janeiro, O Cruzeiro, 1963.

______. "De Machadino a Brás Cubas". Revista do Livro, Rio de Janeiro, set., 1958.

______. A Forma Secreta. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1965.

______. Textos Críticos. Org. por João Alexandre Barbosa. São Paulo, Perspectiva / Brasília, INL 1986.

______. Da sensualidade na obra de Machado. In: BARBOSA, João Alexandre (Org.). Textos críticos. São Paulo; Brasília: Perspectiva; INL, 1986.

______. O romance machadiano: o homem subterrâneo. In: BOSI, Alfredo et. al. Machado de Assis. São Paulo: Ática, 1982. p. 357-363

______. Machado de Assis (1935-1958). Prefácio de Alberto da Costa e Silva.
Rio de Janeiro: José Olympio Editora, 2008.

MEYER, Marlyse. As mil faces de um herói-canalha e outros ensaios. Rio de Janeiro : Editora UFRJ, 1998.

MEYER, Marlyse, Folhetim: Uma História,  São Paulo, Companhia das Letras, 1996, pp. 51-52, 117-118, 390-391.

MIGUEL, Salim. “Capitu: O Desabafo”, A Notícia, Florianópolis, 25 mar. 1999 [sobre Capitu: Memórias Póstumas, de Domício Proença Filho].

MILLEN, Manya e Pire, Paulo Roberto. “O Rio de Assis”, O Globo, Rio de Janeiro, 23 out. 1999.

MINDLIN, José (Org.). Machado de Assis.Seis contos escolhidos e comentados por José Mindlin. Rio de Janeiro: José Olympio Editora, 2008.

MOISÉS, Carlos Felipe. “Counselor Aires and His Moviola”, em “Machado de Assis, Esaú and Jacob”. Nova York: Oxford University, 2000.

MOISÉS, Massaud. "Nota Preliminar". In: ASSIS, Machado de Esaú e Jacó. São Paulo, Cultrix, 1961.

______. Temas Brasileiros. São Paulo, Cultrix, 1964.

______. Machado de Assis: Utopia e Ficção. São Paulo, Cultrix, 2000.

______. História da literatura brasileira. v. 2. São Paulo: Cultrix; EDUSP, 1984

______. Introdução. MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Helena; Iaiá Garcia. São Paulo: Cultrix, 1962. (Obras escolhidas de Machado de Assis)

______. Nota preliminar. In: MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Crônicas, crítica, poesia, teatro. 2. ed. São Paulo: Cultrix, 1964. (Obras escolhidas de Machado de Assis) p. 11-14.

______. Pequeno dicionário de literatura brasileira. 5. ed. São Paulo: Cultrix, 1999.

MONTEIRO, Valéria Jacó, Dom Casmurro: Estrutura e Discurso, São Paulo, Hacker-Cespuc, 1997, 134 p.

MONTELLO, Josué. Academia Brasileira de Letras: 100 Anos, São Paulo, Bei Comunicações, 1997, pp. 13-61.

MONTELLO, Josué. Estampas literárias. Rio de Janeiro; Organização Simões ed., 1956.

______.Caminho da fonte. Rio de Janeiro; Instituto Nacional do Livro, 1959.

______. Histórias da vida literária. Rio de Janeiro; Nosso Livro editora.

______. O presidente Machado de Assis. São Paulo; Martins, 1961.

______. Santos de casa, estudos de literatura. Fortaleza; Imp. Universitária do Ceará, 1966.

______. Machado de Assis. Editora Verbo, 1972.

______. Anedotário geral da Academia Brasileira de Letras. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1980.

______. A Academia Brasileira de Letras entre o Silogeu e o Petit Trianon. Rio de Janeiro: ABL, 1997.

______. Diário Completo. 2 vol. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1998.

______. O Conto Brasileiro de Machado de Assis e Monteiro Lobato. In: Academia Brasileira de Letras. Curso de Contos. Rio de Janeiro, 1958.

______. Machado de Assis. Lisboa: Verbo, 1983. (Gigantes da literatura universal).

______. Uma Palavra Depois de Outra. Rio de Janeiro : INL, 1969.

______. Uma palavra depois da outra. Rio de Janeiro: [s. ed.], 1969.

______. Reencontro com meus Mestres. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, 2003.

______. Os inimigos de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Ed. Nova Fronteira, 2008.

MONTELLO, Josué. Memórias Póstumas de Machado de Assis, Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1997, 768 p. [referências: Rachel de Queiroz, “As memórias Póstumas de Machado de Assis”, O Estado de S. Paulo, São Paulo, 21 jun. 1997; Oliveiros Litrento, “Memórias Póstumas de Machado de Assis”, Jornal do Comércio, Rio de Janeiro, 29 jun. 1997; Diogo Mainardi, “Obra de Peraltice”, Veja, São Paulo, 2 jul. 1997; Mauro Serelle, “Confusão entre Autor e Seus personagens”, Hoje em dia, Belo Horizonte, 27 jul. 1997; Adelto Gonçalves, “Livro sobre Machado de Assis Resgata Fases quase Esquecidas”, A Tribuna, Santos, 31 ago. 1997; Wilson Martins, “O Tempo Perdido e Recuperado”, Jornal Letras, Lisboa, 10 set. 1997].

MONTENEGRO, Abelardo Fernando. Tobias Barreto e Machado de Assis. Fortaleza, A. Batista Fontenele, 1954.

MONTENEGRO, Olívio. O romance brasileiro. Prefácio de Gilberto Freire. Rio de Janeiro; José Olympio Editora, 1953.

MOOG, Vianna. Heróis da decadência. Rio de Janeiro; Ed. Guanabara, 1934.

MORAES, Carlos Dante de. Alguns estudos e um fragmento de autobiografia. Porto Alegre: Metrópole, 1975. 198 p.

MORAES, Lígia Marina. Conheça o escritor Machado de Assis. Rio de Janeiro, Record, 1947.

______. Conheça o escritor brasileiro Machado de Assis. Rio de Janeiro: Record, 1979.

MORAES NETO, Prudente de. The Brazilian Romance. Rio de Janeiro, Imprensa Nacional, 1943.

MORAES, Raimundo. Machado de Assis. Belém; Oficina gráfica do Instituto Lauro Sodré, 1939.

MORAIS, Carlos Dante de. " Machado de Assis". Revista Brasileira, Rio de Janeiro, 29, 1966.

MOREIRA, Thiers Martins. Quincas Borba ou o pessimismo irônico. Livraria São José, 1964.

______. "Machado de Assis. Biografia ad Usum Meditationis" . In: ------. Visão em Vários Tempos. Rio de Janeiro, São José, 1970.

______. "Machado versus Boynton" . In: ______. Visão em Vários Tempos. Rio de Janeiro, São José, 1970.

MOREIRA, Wagner Martins. Machado de Assis: homem lúdico: uma leitura de Esaú e Jacó. São Paulo: Annablume; FAPESP, 2001.

MORETZSOHN, Carmen. “O Bruxo do Cosme Velho”, Jornal de Brasília, Brasília, 7 abr. 1999.

______. “O Teatro Existencial em Machado”, Jornal de Brasília, Brasília, 7 abr. 1999.

“Morre Machado de Assis: Quebra-cabeça para os Críticos”, O Globo 2000, Rio de Janeiro, jun. 1999.

MOTA FILHO, Cândido et alii. Machado de Assis na palavra de Peregrino Junior, Cândido Mota Filho, Eugênio Gomes, Aloísio de Carvalho Filho. Salvador, Progresso, 1959.

______. O caminho das três agonias. Rio de Janeiro: José Olympio, 1945.

MOURA, Emílio. "Machado de Assis". Revista do Brasil, Rio de Janeiro, 1, out., 1926.

MOURA, Flávio. “Drummond e Machado no Aparelho de Som”, Jornal da Tarde, São Paulo, 27 out. 1999.

“Mulher Ajudava Machado de Assis”, A Gazeta, Vitória, 2 jun. 1999.

MURAT, Luís. "Machado de Assis e Joaquim Nabuco". Revista da Academia Brasileira de Letras, Rio de Janeiro, 17-24, jun-out., 1926.

MURICY, Kátia. A Razão Cética. Machado de Assis e as questões de seu tempo. São Paulo, Cia. das Letras, 1988.

NACHBIN, Lea, “Il Resto dei Resti”, em Machado de Assis, Dom Casmurro, Roma, Fazi, 1997, pp. 291-294 [tradução de Gianluca Manzi e Lea Nachbin].

NASCENTES, Olavo. "Machado de Assis, o Leitor do Larousse". In: BARBADINHO NETO, Raimundo. Miscelânea em Honra de Rocha Lima. Rio de Janeiro: Colégio Pedro II, 1980, p. 185-95.

NAZARETH, Otávio. “Viva Machado”, Gazeta Mercantil, São Paulo, 13 dez. 1999.

NICOLA, José de, “O Alienista, A Loucura se Equilibra no Fio da Navalha”, em Machado de Assis, O Alienista/Dom Casmurro, São Paulo, Scipione, 1994, pp. VII-VIII.

NICOLA, José de, “D. Casmurro, um Narrador à procura de Si Mesmo”, em Machado de Assis, Dom Casmurro/O Alienista, São Paulo, Scipione, 1994, pp. XXIII-XXIV

NICOLA, José de, “Machado de Assis: Vida e Obra”, em Machado de Assis, Dom Casmurro / O alienista, São Paulo, Scipione, 1994, pp. III-XVI.

NISKIER, Arnaldo. O Olhar Pedagógico em Machado de Assis. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1999.

______. Prefácio.In: Os contos completos de Machado de Assis de Djalma Cavalcanti. Universidade Federal de Juiz de Fora em co-edição com a Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2003.

______. “218 Contos de Machado de Assis: Um Trabalho para o Futuro”, em Machado de Assis: Contos Completos, organizado por Djalma Cavalcante. São Paulo-Juiz de Fora: Imprensa Oficial-UFFJ, 2003.

______. “Machado, Anita e os Judeus”, em Anita Novinsky, O Olhar Judaico em Machado de Assis, Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1990.

______.”Machado Sempre”, em Machado de Assis: uma Revisão. Rio de Janeiro: In-Fólio, 1998 [orelha do livro].

NÓBREGA, Dormevilly, Revendo o Passado, Juiz de Fora, Caminho Novo, 1997, pp. 101-102 [referência: Manoel Hygino dos Santos, “Machado Vem às Montanhas”, Hoje em Dia, Belo Horizonte, 7 jul. 1997].

NORDENHOK, Jens, em Machado de Assis, Vansinneslakaren (O Alienista), Ungern, Alhambra, 1994, pp. 129-135  [tradução sueca de Jens Nordenhok].

NOVINSKY, Anita. O olhar judaico em Machado de Assis. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1990.

NUNES, C. Machado de Assis: crítico da classe ociosa. São Paulo: Copidar, 1984.

NUNES, Maria Luisa. The craft of an absolute winner : characterization and narratology in the novels of Machado de Assis. Westport, Conn.: Greenwood Press, 1983.

OLINTO, Antonio.“Helena”, de Machado de Assis (Orelha). Rio de Janeiro: Record, 1967.

______. Breve História da Literatura Brasileira. São Paulo: Lisa, 1994.

OLIVEIRA, Franklin de. "O artista em sua narração: a fortuna crítica de Machado de Assis". Revista do Livro, Rio de Janeiro, 3, set., 1958.

OLIVEIRA, José Osório de. Enquanto é possível. Lisboa, Universo, 1942.

______. Explicação  de Machado de Assis e do "Dom Casmurro". Para a traudução alemã do Dr. Erwin Georg Meybourg. Lisboa, 1950.

______. Brasileirismo de Machado de Assis. Coimbra: Coimbra editora, 1942.

______ e OLIVEIRA, Paulino de. Explicação de Machado de Assis e do "Dom Casmrro". Seguida de uma Ode à morte de Machado de Assis. Lisboa: 1950.

OLIVEIRA, Leopoldo O. C. de. “As metamorfoses na estrutura narrativa entre as versões A e B”, em Ivo Barbieri (org.), Ler e Reescrever Quincas Borba. Rio de Janeiro: Eduerj, 2003.

OLIVEIRA, Paulino de. Ode à morte de Machado de Assis. Lisboa, 1959.

OLIVEIRA, Roberta. “Machado Volta à ABL com um dom Casmurro Teatral”, O Globo, Rio de Janeiro, 28  maio 1999.

OLIVER, Élide Valarini. "A Poesia de Machado de Assis no Século XXI: Revisita, Revisão". In: O obra de Machado de Assis. Ensaios premiados no 1º Concurso Internacional Machado de Assis. Ministério das Relações Exteriores. Governo Federal / 2006.

ORBAN, Victor. "Machado de Assis. Romancier, Conteur et Poéte" . In: Machado de Assis et son oeuvre Littéraire. Paris, Louis-Michaud, 1909.

ORICO, Osvaldo. "O valor das palavras na obra de Machado de Assis" . Revista da Academia Brasileira de Letras. Rio de Janeiro, 58, jul-dez., 1939.

“O Século Passado na fina Ironia de Machado”, Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 12 maio 1999 [sobre espetáculo baseado em textos machadianos].

OTAVIO FILHO, Rodrigo. Minhas memórias dos outros. Rio de Janeiro; José Olympio, 1935.

______. Velhos Amigos. Rio de Janeiro, José Olympio, 1938.

______. Uma visão de Machado de Assis. Ilustração Brasileira, [s. l.], [s. v.], [s. p.], jan. 1939.

PACHECO, Armando Correia. Machado de Assis romancista. Washington, União Pan-Americana, 1949.

PAIS, José Paulo. "Um Aprendiz de Morto". Revista de Cultura Vozes, Petrópolis, set., 1976.

______. Gregos e Baianos. São Paulo, Brasiliense, 1985.

PAGANINI, Joseana. “Bruxarias Machadianas”, Jornal de Brasília, Brasília, 7 abr. 1999.

PAIXÃO, Roberta. “Capitu de Verdade”, Veja, São Paulo, 11 ago. 1999 [entrevista com Carlos Heitor Cony].

PALEÓLOGO, Constantino. Machado, Poe e Dostoiévski. Rio de Janeiro; Revista Branca, 1950.

______. Eça de Queirós e Machado de Assis. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro / Brasília, INL-MEC, 1979.

______. Dicionário de Machado de Assis. São Paulo: Rede Editora Latina, 1958.

PALTI, Elias José. "O Espelho Vazio. Representação, subjetividade e História em Machado de Assis". In: O obra de Machado de Assis. Ensaios premiados no 1º Concurso Internacional Machado de Assis. Ministério das Relações Exteriores. Governo Federal / 2006.

PANDOLFO, Maria do Carmo Peixoto. A cantiga do texto em Machado de Assis. Rio de Janeiro, RJ : Tempo Brasileiro, 1987.

PARANAGUÁ, Evandro. A barraca e o formigueiro. Coleção e artigos publicados em O Estado de São Paulo entre 1977-78. Brasília, Senado Federal, 1978.

PARANHOS, Ulisses. "Os Desequilibrados na Obra de Machado de Assis". Revista da Academia Paulista de Letras. São Paulo, 11, set., 1940.

PARREIRA, Marcelo Pen. Realidade possível: Dilemas da ficção em Henry James e Machado De Assis. São Paulo, Ateliê Editorial, 2012. 360p.

PASSONI, Célia   A. N., “De Conto em Conto”, em Machado de Assis, Contos Escolhidos, São Paulo, Núcleo, 1994, pp. 5-8.

PASSOS, Gilberto Pinheiro. As sugestões do conselheiro: a França em Machado de Assis: Esaú e Jacó e Memorial de Aires. São Paulo, SP : Editora Atica, 1996.

______. A poética do legado: o intertexto francês em Memórias Póstumas de Brás Cubas. São Paulo: Annablume, 1996.

______. “O Napoleão de Botafogo: Presença francesa em 'Quincas Borba', de Machado de Assis”. São Paulo: Annablume, 2000.

PASSOS, José Luiz.  Machado de Assis: O romance com pessoas. Rio de Janeiro: EDUSP, 2008.

PATI, Francisco. Dicionário de Machado de Assis. São Paulo: Rede Latina, s/d.

______. Dicionário de Machado de Assis: história e biografia das personagens. São Paulo: Conselho Estadual de Cultura, 1972.

PASSOS, Gilberto Pinheiro, “Cosmopolitan Strategies in The Posthumous Memoirs of Bras Cubas”, em Machado de Assis, The Posthumous Memoirs of Bras Cubas, Nova York/Oxford, Oxford University Press, 1997, pp. 205-219 [tradução de Gregory Rabassa].

PAULA-FREITAS, Luiz de Abreu. Perfil de Machado de Assis. Rio de Janeiro, Of. Gráfica do Globo, 1939. Publicação do Centro carioca comemorativa do centenário de Machado de Assis.

PAULINO NETO. "Machado de Assis. Alguns dos seus Aspectos". Revista da Academia Fluminense de Letras, Niterói, maio, 1950.

PAULO, João. “Inocente ou Culpada?”, Estado de Minas, Belo Horizonte, 28 fev. 1999 [sobre o mesmo assunto do item anterior].

PEIXOTO, Afrânio. "O Alienista, de Machado de Assis". Revista da Academia Brasileira de Letras, Rio de Janeiro, 66, 1943.

______. Humour. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1936.

______. Poeira da estrada. s.l: [s. ed.], 1918 {3. ed. Rio de Janeiro: Jackson, 1944.}

PEIXOTO, Marta. "Aires as Narrator and Aires as Character in Esaú e Jacó". Luso-Brazilian Review, 1980.

PEIXOTO, Rubiana. “O Realismo Atual de Machado de Assis”, O Globo, Rio de Janeiro,, 14 dez. 1999.

PEREGRINO Junior, João. Doença e constituição de Machado de Assis. Rio de Janeiro; José Olympio, 1938.

______. "Biografia de um Livro sobre Machado de Assis". Revista do Livro. Rio de Janeiro, 3, set., 1958.

______. "A Timidez de Machado de Assis e a de Amiel ". Revista Brasileira, Rio de Janeiro, 2, 1941.

PEREGRINO, Umberto. A Guerra do Paraguai na Obra de Machado de Assis. João Pessoa (Paraiba) : Univ. Federal, 1969.

PEREIRA, Astrojildo. Interpretações. Rio de Janeiro; Casa do Estudante do Brasil, 1944.

______. Machado de Assis novelista del segundo reinado. Buenos Aires, 1942.

______. Machado de Assis. Ensaios e apontamentos avulsos. Rio de Janeiro; Livraria São José, 1959.

______. Machado de Assis: romancista do Segundo Reinado. Rio de Janeiro: Revista do Brasil, jun. 1939.

______. "Consciência Nacional de Machado de Assis". Revista do Livro, Rio de Janeiro, 3, set., 1958.

PEREIRA, Lafayete Rodrigues. Vindiciae ( o Sr. Sylvio Romero, crítico e filósofo ). Rio de Janeiro; Jacinto Ribeiro dos Santos, 1898.

PEREIRA, Lúcia Miguel. Machado de Assis (estudo crítico e biográfico). São Paulo; Editora Nacional, 1936.

______. Machado de Assis estudo crítico e biográfico. São Paulo: Cia. Ed. Nacional, 1939.

______. História da Literatura Brasileira. Prosa de ficcção (1870-1920). Rio de Janeiro, José Olympio, 1973.

______. "Machado de Assis e Eça de Queirós". Revista de Portugal, Lisboa, jul., 1939.

______. "Machado de Assis e o Espírito de Infância". A Ordem, Rio de Janeiro, jun., 1939.

______. "Machado de Assis e Nós". Revista do Brasil. Rio de Janeiro, 2, jun, 1939.

______. "Prefácio". In: ASSIS, Machado de. Casa Velha. São Paulo, Martins, 1944.

______. "Prólogo". In: ASSIS, Machado de. Dom Casmurro. Buenos Aires, W. M. Jackson, 1946.

______. "Relações de Família na obra de Machado de Assis". Revista do Livro. Rio de Janeiro, 3, set., 1958.

______. Prosa de ficção (de 1870 a 1920). Rio de Janeiro; Liv. José Olympio, 1957.

______. Introdução. In: MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Casa Velha; Uma por outra. São Paulo: Martins, 1944. 162 p

______. Machado em síntese. In: ______. A leitora e seus personagens. Rio de Janeiro: Graphia, 1992. 340 p. (Revisões)

PEREIRA, Leonardo Afonso de Miranda, O Carnaval das Letras, Rio de Janeiro, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro/Secretaria Municipal de Cultura, 1994, pp. 30-32, 49-50, 70-71, 102-103, 115-118, 130-150, 183.

PEREIRA, Rubens Alves. Fraturas do texto: Machado e seus leitores. Rio de Janeiro: Sette Letras, 1999.

PEREZ, Renard. "Esboço Biográfico: Machado de Assis e sua circunstância". In: ASSIS, Machado de. Obra Completa. Org. por Afrânio Coutinho. Rio de Janeiro, Aguilar,1973.

PESSOA, Fronta. Crítica e polêmica. Rio de Janeiro: Artur Gurgulino, 1902.

PICCHIO, Luciana Stegagno. O Século XIX: Machado de Assis. In: PICCHIO, Luciana Stegagno. História da Literatura Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1997, p. 273-98.

PIETRANI, Amélia Montechiari. O Enigma Mulher no Universo Masculino Machadiano. Editora da UFF, RJ, 2002.

PIMENTEL, A. Fonseca. Machado de Assis e outros estudos. Rio de Janeiro; Irmãos Pongetti Ed. , 1962.

______. Machado de Assis. Roma, 1968. (Separata do Journal of Inter-American Studies da Universidade de Miami, vol. X, jan., 1968).

______. A presença alemã na obra de Machado de Assis. Rio : São José, 1974.

PINTO, Corrêa. Machado de Assis. Rio de Janeiro; Irmãos Pongetti Ed., 1958.

PINTO, Manuel da Costa. “Decifrações da Esfinge”, Cult, São Paulo, n. 24, pp. 56-59, jul. 1999.

PIÑERO, María de la Concepción Valverde. "Cosas de España" em Machado de Assis : e outros temas hispano-brasileiros. São Paulo : Editora Giordano, 2000.

PIRES, Ézio. Depoimento literário. Brasília, Centro de Estudos e Pesquisa da Comunicação, 1978.

PIRES, Isabel Virginia de Alencar. “Rubião: Um Excêntrico entre a Província e a Corte”, em Ivo Barbieri (org.), Ler e Reescrever Quincas Borba. Rio de Janeiro: Eduerj, 2003.

PIZA, Daniel. “Dois Instintos de Nacionalidade”, Gazeta Mercantil, Caderno Fórum, São Paulo, pp. 24-40, ago. 1999.

______. Machado de Assis: um gênio brasileiro. São Paulo: Imprensa Oficial (IMESP), 2005.

POLINESIO, Marchetti Julia, O conto e as Classes Subalternas, São Paulo, Annablume, 1994, pp. 18-27 [capítulo intitulado “A Imparcialidade Narrativa: Machado de Assis”].

PÓLVORA, Helio. Graciliano, Machado, Drummond e Outros. Rio: Francisco Alves, 1975. 158 pp.

PONTES, Elói. Machado de Assis. São Paulo; Edições Cultura, 1943.

______. A vida contraditória de Machado de Assis. Rio de Janeiro; Liv. José Olympio, 1939.

PONTES, Joel. Machado de Assis e o teatro. Rio de Janeiro, MEC, Serviço Nacional de Teatro, 1960.

______. Machado de Assis e o teatro. Rio de Janeiro: Campanha Nacional de Teatro, MEC, 1960. {2. ed. Rio de Janeiro: Agir, 1968. 121 p. (Nossos clássicos; 48)

POST, H. Houwens. O escritor brasileiro Machado de Assis, existencialista "avant la lettre" (1839-1908 ). Lisboa, separata do Boletim Cultural da Assembléia Distrital de Lisboa, n. 83, 1977.

POST, H. Howens. L´auteur brésilien Machado de Assis et le Mythe de Sisyphe. Napoli: Istituto Universitário Orientale, 1961. Esttrato dagi " Analli dell´Istituto Universitário Orientale".

PRADO, Antonio Arnoni. “Origens de um Estilo”, em Machado de Assis, Contos Fluminenses, São Paulo, Ática, 1997, pp. 3-6.

PRATA, Edson Gonçalves. Dom Casmurro e o pessimismo de Machado de Assis. Uberaba, Gráfica Correio Católico, 1964.

______. Machado de Assis e o direito do trabalho. Uberaba; Gráfica Correio Católico, 1965.

______. Machado de Assis: o Homem e a Obra vistos por todos os ângulos. Rio de Janeiro, São José, 1968.

PRITSCH, Eliana Inge. Uma lira no coração: literatura e música em Machado de Assis. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 1993. 182 p.

PROENÇA FILHO, Domício. Capitu: Memórias Póstumas, Rio de Janeiro, Artium, 1998, 378 p. [referências: Dylza Freitas, “Um século de uma Mulher Voraz como a Ressaca”, O Globo, Rio de Janeiro, 13 fev. 1999; Marilene Felinto, “Hoje Isso Tem o Nome de ‘Crítica-Ficção’”, Folha de S. Paulo, São Paulo, 4 mar. 1999; Salim Miguel, “Capitu: O Desabafo”, A Notícia, Florianópolis, 25 mar. 1999].

PROENÇA, Ivan Cavalcanti. “Introdução”, em Machado de Assis, Memórias Póstumas de Brás Cubas, Rio de Janeiro, Ediouro / Biblioteca Folha, 1997, pp. 8-10.

PROENÇA, M. Cavalcanti. Dom Casmurro. Rio de Janeiro : Biblioteca Universal Popular, 1964.

______. Introdução. MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Memórias póstumas de Brás Cubas. Rio de Janeiro: Ouro, 1976.

PROENÇA, Ivan Cavalcanti. Biografia. In: MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Dom Casmurro. Rio de Janeiro; São Paulo: Ediouro; Publifolha, 1997. (Biblioteca Folha; 20)

______. Introdução. In: MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Contos consagrados. Rio de Janeiro: Tecnoprint, 19[-]. 202

PUJOL. Alfredo. Machado de Assis. São Paulo, Tip. Brasil, 1917.

______. Machado de Assis. Rio de Janeiro; José Olympio Editora, 1934.

______. Machado de Assis: curso literário em sete conferências na sociedade de cultura artística de São Paulo. São Paulo: Imprensa Oficial (IMESP), 2007.

PUTNAM, Samuel. Marvelous Journey: a survey of four centuries of Brazilien Lierature. New York, Knopf, 1948.

QUEIROGA, Onélia. “Releitura dos 'Contos Fluminenses' de Machado de Assis”. João Pessoa, 2000.

QUEIROZ, Maria José de, A Literatura e o Gozo Impuro da Comida, Rio de Janeiro, Topbooks, 1994, pp. 211-227.

QUEIROZ, Dinah Silveira de. Machado de Assis e as mulheres. Rio de Janeiro: Presença, 1976.

RAMOS, Graça. Ironia à brasileira: o enunciado irônico em Machado de Assis, Oswald de Andrade e Mario Quintana. São Paulo, SP : Paulicéia, 1997.

RAMOS, Graciliano. Os Amigos de Machado de Assis . Revista do Brasil, Rio de Janeiro, 2 (12), jun. 1939.

RAMOS, Júlio. "Anticonfesiones: Deseo y autoridad en Memórias Póstumas de Brás Cubas y Dom Casmurro, de Machado de Assis". Bulletin of Hispanic Studies, Liverpool, 63, 1986.

RAMOS, Pericles Eugênio da Silva. Machado de Assis: poesia. Rio de Janeiro: Agir, 1964. 101 p. (Nossos Clássicos; 69).

RANGEL, Maria Lucia (Org.). Machado de Assis por Otto Lara Resende: 162 frases do maior escritor brasileiro, Rio de Janeiro, Casa da Palavra, 2012. 160p.

REALE, Miguel. Filosofia na obra de Machado de Assis e antologia filosófica de Machado de Assis. São Paulo: Livraria Pioneira Editora, 1982.

______. A filosofia na obra de Machado de Assis: antologia filosófica de Machado de Assis. São Paulo: Pioneira, 1982.

REGO, Enylton de Sá, “Warning: Deadly Humor at Work, em Machado de Assis, The Posthumous Memoirs of Bras Cubas, Nova York/Oxford, Oxford University Press, 1997, pp. XI-XIX [tradução de Gregory Rabassa].

REGO, Enylton de Sá. "Machado de Assis e a Sátira Menipéia: um Diálogo com os Textos de Luciano". Litteratura d`America, 4, 1983.

______. O calundu e a panacéia: Machado de Assis, a sátira menipéia e a tradição luciânica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1989.

REGO, José Lins do. Conferências no Prata: tendências do romance brasileiro: Raul Pompéia e Machado de Assis. Rio de Janeiro: Casa do Estudante do Brasil, 1946.

REIS, Maria Figueiredo dos. “O Fantástico na Narrativa de Machado de Assis”. Teresina: Universidade Federal do Piauí, 2000.

“Restos Mortais de Machado de Assis são transferidos para Mausoléu da ABL”, O Globo, Rio de Janeiro, 22 abr. 1999.

REVISTA DA SOCIEDADE DOS AMIGOS DE MACHADO DE ASSIS. Rio de Janeiro, set.1958 / set.1959. 1968. (8 números)

REVISTA DO BRASIL. Centenário de Machado de Assis. Rio de Janeiro, vol.2, n.12, jun., 1939.

REVISTA DO LIVRO. Edição Comemorativa do Cinquentenário da Morte de Machado de Assis. Rio de Janeiro, vol.3, n.11, set., 1958. Número especial.

RIBEIRO FILHO, J. S. Dicionário Bibliográfico de Escritores Brasileiros. Rio de Janeiro, Brasiliana, 1965. Verbete. " ASSIS, Joaquim Maria Machado de".

RIBEIRO, João. Crítica. Clássicos e românticos brasileiros. Rio de Janeiro, Academia Brasileira de Letras, 1952.

RIBEIRO, Luiz Filipe, Mulheres de Papel: Um Estudo do Imaginário em José de Alencar e Machado de Assis, Niterói, Universidade Federal Fluminense, 1996, pp. 227-415 [referências Wilson Martins, “A Construção da Mulher no Imaginário”, O Globo, Rio de Janeiro, 3 maio 1997; Miguel Sanches Neto, “Mulheres de Papel” toca na Ferida dos Acadêmicos”, O Estado de S. Paulo, São Paulo, 8 mar. 1997].

RIEDEL, Dirce.Côrtes. O tempo no romance machadiano. Rio de Janeiro; Livraria São José, 1959.

______. A Metáfora: O Espelho de Machado de Assis. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1974.

______. Quincas Borba: Machado de Assis. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1975. 169 p

RIOJA, Suzimar. “Quincas Borba: Embrião de uma Moderna Teoria da Leitura”, em Ivo Barbieri (org.), Ler e Reescrever Quincas Borba. Rio de Janeiro: Eduerj, 2003.

RIOS, Sebastião. “Crítica Oblíqua da Opressão”, Jornal de Brasília, Brasília, 7 de abr. 1999.

RIVAS, Pierre, Encontro entre Literaturas, São Paulo, Hucitec, 1995, pp. 148-151 [uma breve abordagem sobre “Machado de Assis na França”. Referência: Wilson Martins, “Encontros e Desencontros”, Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 23 set. 1995].

ROCHA, Carlos Werneck. O sinfronismo em Machado de Assis. Tese de concurso no magistério do Exército. Belo Horizonte, 1959.

ROCHA, João Cesar de Castro. Machado de Assis, leitor (autor) da Revista do IHGB. IN: JOBIM, José Luís. "A Biblioteca de Machado de Assis". Rio de Janeiro. ABL / Topbooks. 2000.

______. “Machado de Assis, Leitor (Autor) da Revista do IHGB”, em José Luís Jobim (org.), A Biblioteca de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Topbooks, 2001.

______. Contos de Machado de Assis vol.2 : adultério e ciúme. Rio de Janeiro: Record, 2008.

______. Contos de Machado de Assis vol. 3: filosofia. Rio de Janeiro: Record, 2008.

ROCHA, João Cezar de Castro. Machado de Assis: por uma poética da emulação. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013. 366p. (Coleção Contemporânea. Filosofia, literatura e artes).

ROCHA, João Cezar de Castro (Ed.). The author as plagiarist: the case os Machado de Assis. Dartmouth: center for Portuguese Studies and Cultura, University os Massachusetts Dartmounth, 2006. 663 p. (Portuguese literary & cultural studies, 13/14).

ROCHA, Marques da. “Quem traiu Capitu?”, Jornal de Letras, Rio de Janeiro, n.7, mar. 1999.

RODRIGUES, Cássia Maria. “Machado de Assis e sua Ironia Começam a Derrubar as Sérias Muralhas de Oxford”, O Globo, Rio de Janeiro, 12 jun. 1999.

RODRIGUES, Henrique (Org.). Machado de Assis: o Rio de Janeiro de seus personagens. Rio de Janeiro: Ed. Pinakotheke, 2008.

ROMERO, Silvio. Machado de Assis, estudo comparativo de literatura brasileira.. Rio de Janeiro; Laemmert & Cia., 1897.

______. Machado de Assis. Rio de Janeiro; liv. José Olympio Ed. 1936.

______. História da Literatura Brasileira. Rio de Janeiro, José Olympio, vol. 5, 1980.

______. A poesia nas Falenas. Crença, Recife, 30 maio 1870.

______. Estudos de literatura contemporânea. Rio de Janeiro: Laemmert, 1885.

______. Machado de Assis: estudo comparativo de Literatura Brasileira. São Paulo: UNICAMP, 1992. {1. ed. Rio de Janeiro: Laemmert, 1897.}

______. O naturalismo em literatura. São Paulo: [s. ed.], 1882.

______. Outros estudos de literatura contemporânea. Lisboa: A Editora, 1905.

ROSA, Alberto Machado da. Eça, discípulo de Machado? Rio de Janeiro; Ed. Fundo de Cultura, 1963.

______. Eça, discípulo de Machado? Formação de Eça de Queiroz 1875-1880. Lisboa, Editora Presença, s.d.

ROUANET, Sérgio Paulo. Contribuição, salvo engano, para uma dialética da volubilidade. In: ______. Mal-estar na modernidade. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

RYAN, Marco Aurélio. "Machado de Assis: Um retrato Materialista do Brasil". In: O obra de Machado de Assis. Ensaios premiados no 1º Concurso Internacional Machado de Assis. Ministério das Relações Exteriores. Governo Federal / 2006.

SABINO, Fernando. Amor de Capitu: O Romance de Machado de Assis sem o Narrador Dom Casmurro. Recriação Literária, São Paulo, Ática, 1998, 295 p. [referências: Afonso Romano de Sant’anna, “Sandapilários, Capitu, Folhetins”, O Globo, Rio de Janeiro, 24 nov. 1998; Antônio Fernando Borges, “A Vingança de Capitu”, Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 9 jan. 1999; Ivan Cavalcanti Proença, “Fernando Sabino e o Enigma de Capitu”, Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 23 jan. 1999; Marilene Felinto, “Hoje Isso Tem o Nome de ‘Crítica-ficção’”, Folha de S. Paulo, São Paulo, 4 mar. 1999; Marques Rocha, “Quem Traiu Capitu?”, Jornal de Letras, Rio de Janeiro, mar. 1999.

SALOMON, Geanneti Tavares. Moda e Ironia em Dom Casmurro. São Paulo: Alameda, 2010. 196p

SÁ REGO, Enylton José de. O calundu e a panacéia: Machado de Assis, a sátira menipéia e a tradição luciânica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1989.

SAMPAIO, Maria Lucia Pinheiro. A Interdição do Desejo - Leitura psicanalítica de Dom Casmurro. João Scortecci Editora, São Paulo, 1989.

SAMPAIO, Marília. “Dançando com Machado de Assis”, Jornal do Brasil, Rio de janeiro, 28 abr. 1999.

SAMPAIO, Rangel de. Estilo Machado de Assis. Lisboa: 1964.

SANDRONI, Cícero. Cosme Velho, Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1999.

SANCHES NETO, Miguel. “O Poder do Órfão”, Gazeta do Povo, Curitiba, 1º mar. 1999 [sobre Dom Casmurro].

 ______. O ideal do crítico. Rio de Janeiro: José Olympio Ed., 2008.

SANSEVERINO, Antônio Marcos Vieira. O herói romanesco em O guarani e Memórias póstumas de Brás Cubas. In: MITOS e heróis: construção de imaginários. Porto Alegre: EDUFRGS, 1998. p. 89-108

SANTA'ANNA, Afonso Romano de. “Chegou o Kit. Socorro”; “Mais Capitu”, O Globo, Rio de janeiro, 5 jan. 1999.

______. " Esaú e Jacó". In: ------. Análise Estrutural de Romances Brasileiros. Petrópolis, Vozes, 1973.

SANTA'ANNA, Afonso Romano de, “Prefácio”, Cuentos Brasileños, Santiago de Chile, Andrés Bello, 1994, pp. 10-11 e 13.

SANTIAGO, Silviano. " A Retórica da Verossimilhança". In: ------. Uma Literatura nos Trópicos. São Paulo, Perspectiva, 1978.

SANTOS, Adazil Corrêa, “O Teatro de Machado de Assis”, Uniletras, Ponta Grossa, Paraná, n. 17, pp. 83-88, dez. 1995.

SANTOS, Jeana Laura da Cunha. “Transportes pelo Olhar de Machado de Assis: Crônica Passeia pelo Bond”, em Machado de Assis, Crônicas de Bond. Santa Catarina: Argos, 2001.

SANTOS, José Bezerra dos. Machado de Assis na literatura nacional. Tese de concurso à cadeira de português do curso ginasial do Instituto de Educação " Rui Barbosa" . Aracaju; 1952.

SANTOS, Miguel. Machado de Assis: o estilista primoroso. Rio de Janeiro, Irmãos Pongetti editores, 1974.

SARAIVA, Juracy Assmann. O circuito das memórias em Machado de Assis. São Paulo: EDUSP, 1993.

SARNEY, José. “Machado não Está com Nada”, Folha de S. Paulo, São Paulo, 23 abr. 1999.

SAVON, Samir, “Anatomista da Alma”, em Machado de Assis, “A Sereníssima República” e Outros Contos, São Paulo, FTD, 1994, pp. 7-16.

SCARPELLI, Marli Fantini. “Narrar para não Morrer”, em Lourenço Dantas Mota & Benjamin Abdala Júnior (orgs.), Personae: Grandes Personagens da Literatura Brasileira. São Paulo: Senac, 2001.

SCHILD, Susana. “Clássico da Literatura: Clássico do Cinema”, em Machado de Assis – Memórias Póstumas de Brás Cubas. São Paulo: Sá Editora, 2001.

SCHMITT, John Hyde. Machado de Assis and the Modern Brazilian Short Story. Ann Arbor, Xerox University Microfilms, 1974.

SCHPREJER, Alberto (Org.). Quem é Capitu ?: contos, crônicas e ensaios sobre a personagem mais enigmática da literatura brasileira. Rio de Janeiro: Ed. Nova Fronteira, 2008.

SCHÜLER, Donaldo. Plenitude perdida: uma análise das seqüências narrativas no romance Dom Casmurro de Machado de Assis. Porto Alegre : Editora Movimento, 1978.

______. A prosa fraturada. Porto Alegre: EDUFRGS, 1983.

SCHWARZ, Roberto. A lata de lixo da historia: farsa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977. 86 p. (Teatro; 2)

______. Ao Vencedor as Batatas. Forma literária e processo social nos inícios do romance brasileiro. São Paulo, Duas Cidades, 1977.

______. A poesia envenenada de Dom Casmurro. Novos Estudos (Cebrap), 1991.

______. “A Pulga no Cachorro”, Folha de S. Paulo, São Paulo, 28 mar. 1999.

______. "A Velha Pobre e Retratista". Novos Estudos. São Paulo, 1, abr. 1982.

______. "Complexo, Moderno, Nacional e Negativo". Novos Estudos. São Paulo, Duas Cidades, 1, dez., 1981.

______. Duas meninas. São Paulo, Brasil : Companhia das Letras, 1997.

______. "Duas Notas sobre Machado de Assis" . In: ------. Que Horas são? Rio de Janeiro, Companhia das Letras, 1987.

______. "Duas Notas sobre Machado de Assis". In: Schwarz, Roberto. Que Horas São? São Paulo: Companhia das Letras, 1997, p. 165-78.

______. "Mesa Redonda". In: BOSI, Alfredo et alii. Machado de Assis. São Paulo, Ática, 1982.

______. "Uma Desfaçatez de Classe". Novos Estudos. São Paulo, 11, jan., 1985.

______. "Quién me Dice que Este Personaje no Sea el Brasil?" ( Prólogo). In: ASSIS, Machado de. Quincas Borba. Trans. de Juan Garcia Gayo. Caracas, Biblioteca Ayacucho, 1979.

______. Um mestre na periferia do capitalismo - Machado de Assis. São Paulo, Ed. Duas Cidades, 1990.

______. Um mestre na periferia do capitalismo: Machado de Assis. São Paulo : Livraria Duas Cidades, 1990.

SECCHIN, Antonio Carlos. No centenário de Esaú e Jacó: Machado e seus duplos. In:------. Memórias de um leitor de poesias & outros ensaios. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras:Topbooks, 2010. p. 99-103.

SECCHIN, Antonio Carlos. “Posfácio”, em Machado de Assis, O Alienista, tradução hebraica de Miriam Tivon. Jerusalém: Ketert Publishing House, 1987.

______. “Linguagem e Loucura em O Alienista”, Estudos de Literatura Brasileira. Faculdade de Letras / UFRJ, Rio de Janeiro, 1994 [estudo apresentado no Congresso Internacional Machado de Assis – Texto e Contexto, realizado em set. 1989].

______. “Cartas ao Seixas”, Estudos de Literatura Brasileira. Faculdade de Letras / UFRJ, Rio de Janeiro, 1994 [estudo apresentado no Congresso Internacional Machado de Assis – Texto e Contexto, realizado em set. 1989].

______. “Cantigas de Esponsais e Um Homem Célebre: estudo Comparativo”, Caleidoscópio. Rio de Janeiro, São Gonçalo, Faculdade Integrada de São Gonçalo, 1989.

______. et alii... Machado de Assis: uma revisão. Rio de Janeiro: In-Fólio, 1998.

______. Machado de Assis e Joaquim Nabuco: Correspondência. Rio de Janeiro: Topbooks / Academia Brasileira de Letras, 3. ed., 2003 (orelha).

SEMINÁRIO "MISSA DO GALO" DE MACHADO DE ASSIS. Seminário "Missa do Galo" de Machado de Assis. Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Minas Gerais: Centro de Estudos Luso-Afro-Brasileiros, 1996. (Cadernos CESPUC de pesquisa, série ensaios, 2).

SENNA, Marta de. O Olhar Oblíquo do Bruxo: ensaios em torno de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1998.

______. Alusão e zombaria: considerações sobre citações e referências na ficção de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa/Minc, 2003.

______. (Org.) Contos Fluminenses. Coletânea que traz contos de Machado de Assis. Inclui os contos "Missa Dollar", "Luís Soares" e "A Mulher de Preto". São Paulo: Ed. Martins Fontes, 2006.

SENNA, Marta, “Dom Casmurro: A Loucura Oblíqua e Dissimulada”, em  Atas do Quinto Congresso da Associação Internacional de Lusitanistas, Oxford-Coimbra, 1998, pp. 1445-1450 [apresentado originalmente no V Congresso, em 1996. Transcrição: Marta de Senna, O Olhar Oblíquo do Bruxo, Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1998, pp. 93-103].

SENNA, Marta de, “Shakespeare, Sterne, Machado: A Little More than Kin and Less than Kind”, em Terceira Margem, Rio de Janeiro, UFRJ, 1994, pp. 157-163 [transcrição: Marta de Senna, O Olhar do Bruxo, Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1998, pp. 45-61].

SERPA, Elisa. “O Narrador Cético na Segunda Versão”,em Ivo Barbieri (org.), Ler e Reescrever Quincas Borba. Rio de Janeiro: Eduerj, 2003.

SERRA, Tânia, Joaquim Manuel de Macedo ou os Dois Macedos: A Luneta Mágica do II Reinado, Rio de Janeiro, Fundação Biblioteca Nacional, 1994, pp. 83, 98-99, 116, 120, 128, 142-143, 147-148 [referência: Wilson Martins, “Os Três Grandes”, Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 29 jul. 1995].

SEVCENKO, Nicolau. “Novos Olhos”, Folha de S. Paulo, São Paulo, 28 mar. 1999.

SILVA, Ana Cláudia Suriani. "Quincas Borba, ou o declínio do folhetim". In: obra de Machado de Assis. Ensaios premiados no 1º Concurso Internacional Machado de Assis. Ministério das Relações Exteriores. Governo Federal / 2006.

SILVA, Antonio Joaquim Pereira da. "A Poesia de Machado de Assis". Revista da Academia Brasileira de Letras. Rio de Janeiro, 58, jul-dez., 1939.

SILVA, H. Pereira da. Diálogos com Machado de Assis. Rio de Janeiro; Ed. Pongetti, 1964.

______. Machado de Assis (A megalomania). Rio de Janeiro; Ed. Brand ltda., s.d.

______. Sobre os romances de Machado de Assis. Rio de Janeiro; Sedegra, s.d.

______. Machado de Assis de Roupa Nova. Rio de Janeiro, Editora Colégio Pedro II, 1986.

SILVA, Ivete Helou da. Machado de Assis: o cronista míope. Coleção "Ensaio" - Vol.2 . Edições Galo Branco, RJ, 2002.

SILVA, Sergio Conde de Albite. Arquivo Machado de Assis. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, 2003.

SILVERMAN, Malcolm. Moderna sátira brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1987.

SIMÕES, João Gaspar. Liberdade do Espírito. Porto, Portugália, 1948.

______. "Machado de Assis e Eça de Queiroz ou o Humor e a Ironia". Revista do Brasil. Rio de Janeiro, 4, jul., 1941.

SOARES, Maria Nazaré Lins. Machado de Assis e a análise da expressão. Rio de Janeiro: INL, 1968.

SOARES, Orris. "O Teatro de Machado de Assis". Revista do Brasil. Rio de Janeiro, 2, jun., 1939.

SOARES, Teixeira. Imagens de Machado de Assis. Coimbra; Biblioteca da Universidade , 1936.

______. Machado de Assis (ensaio e interpretação).Rio de Janeiro, Tip. Guida & Cia., 1936.

SODRÉ, Hélio. Pensamento vivo de Machado de Assis. Rio de Janeiro; Ed. Curiosidade, 1942.

SODRÉ, Nelson Werneck. " Posição de Machado de Assis". Revista do Livro, Rio de Janeiro, 3, set., 1958.

SOUSA, Claudio de. O humorismo de Machado de Assis. Conferência realizada na Academia Brasileira de Letras, acrescida de dois capítulos acerca do laconismo e da impassibilidade de Machado de Assis . Rio de Janeiro; Civilização Brasileira, s.d.

SOUSA, José Galante de. "Cronologia de Machado de Assis". Revista do Livro, Rio de Janeiro, 3, set., 1958.

______. Fontes para o Estudo de Machado de Assis. Rio de Janeiro : Inst. Nacional do Livro, 1969.

______. Machado de Assis e Outros Estudos Rio de Janeiro : Cátedra/INL, 1979.

______. O Teatro no Brasil. Rio de Janeiro, INL, Tomo 2, 1960.

STAUT, Lea-Mara-Valezi. O estilo machadiano e o tradutor. São Paulo, Ed.Alfa, 1992.

STEIN, Ingrid. Figuras Femininas em Machado de Assis. Rio de Janeiro, Editora Paz e Terra, 1984.

STRÄTER, Thomas. "Fotografia do Invisível. A Invenção de Daguerre na obra de Machado de Assis". In: O obra de Machado de Assis. Ensaios premiados no 1º Concurso Internacional Machado de Assis. Ministério das Relações Exteriores. Governo Federal / 2006.

STRAUSZ, Rosa Amanda. “Mistério Envolve Menino e Bruxo do Cosme Velho”, Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 6 nov. 1999 [sobre Machado e Juca, de Luís Antonio Aguiar].

SUASSUNA, Ariano. O Rei Degolado. Rio de Janeiro: José Olympio, 1977.

SURIANI, Ana Cláudia. Linha Reta e Linha Curva: Edição Crítica e genética. Campinas: Unicamp, 2003.

SUSSEKIND, Flora. Papéis colados. Rio de Janeiro: EDUFRJ, 1993.

TANNER, Tony. Machado de Assis. London Magazine, 1996.

“Tarde com Machado”, Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 22 jun. 1999.

TATI, Miécio. O mundo de Machado de Assis. Rio de Janeiro; Liv. São José, 1961.

______. O Mundo de Machado de Assis: o Rio de Janeiro na obra de Machado de Assis. Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, 1995. Apresentação de Antônio Houaiss.

TAVARES, José Fernando, “A Dimensão Psicológica em Dom Casmurro de Machado de Assis”, em Machado de Assis, Dom Casmurro, Lisboa, Universitária, 1997, pp. 7-15.

TAVARES, José Fernando, “Nota Introdutória”, em Machado de Assis, Memorial de Aires, Lisboa, Universitária, 1997, pp. I-III.

TAVARES, José Pereira. "Alguns Aspectos da Linguagem de Machado de Assis". Brasília. Coimbra, 1, 1942.

TEIXEIRA, Ivan. Apresentação de Machado de Assis. São Paulo, SP, Brasil : Martins Fontes, 1987.

TEIXEIRA, Maria de Lourdes. "As Mulheres Machadianas". Revista Brasiliense, São Paulo, 4, mar-abr., 1956.

TEIXEIRA, Múcio. A figurinha de um figurão - A pseudo Academia de Letras. Rio de Janeiro; Imprensa Nacional, 1922.

TELES, Gilberto de Mendonça A escrituração da escrita: teoria e prática do texto literário. Petrópolis, Vozes, 1996. 434 p. 801.

TELLES, Lygia Fagundes. Missa do galo: variações sobre o mesmo tema. São Paulo: Summus, 1977.

______ & GOMES, Paulo Emílio Sales. Capitu [adaptação livre para um roteiro baseado no romance Dom Casmurro, de Machado de Assis] São Paulo: Siciliano, 1993.

______. “Apresentação de Machado de Assis”, em Machado de Assis: Uma Revisão, Rio de Janeiro: In-Fólio, 1998.

TOMLINS, Jack E. Machado's Cock and Bull Story: Tristram Shandy and Braz Cubas. 29-41 IN Martins-Heitor. The Brazilian Novel. Bloomington : Indiana UP, 1976. 76 pp.

TORNQUIST, Helena. As novidades velhas. O teatro de Machado de Assis e a comédia francesa. São Leopoldo: Ed UNISINOS, 2002. Série Acadêmica 18.

______. Novidades velhas: O teatro de Machado de Assis e a comédia francesa. Universidade do Vale dos Sinos, RS, 2002.

TÔRRES, Artur de Almeida. A linguagem de Rui Barbosa e de Machado de Assis. Tese aprovada pelo Congresso Nacional de Academias de Letras do Brasil. Rio de Janeiro; Irmãos Pongetti Ed., 1951.

TREVISAN, Dalton, Dinorá, Rio de Janeiro, Record, 1994, pp. 29-36 (Capitu sem Enigma”) e pp. 45-46 (“Esaú e Jacó”).

“Um Rio Machadiano”, Leitores & Livros, Rio de Janeiro, n. 8, out.-nov. 1999 [sobre “O Rio de Assis”, de Manya Millen & Paulo Roberto Pires].

VAL, Waldir Ribeiro do. Geografia de Machado de Assis. Rio de Janeiro: São José, 1977. 94 p.

VALÉRIO, Américo. Machado de Assis e a psicanálise. Rio de Janeiro; Tipografia Aurora, 1930.

VALLE, Luiz Ribeiro do. Psicologia mórbida na obra de Machado de Assis. Rio de Janeiro; Tip. do Jornal do Comércio, 1917 Tese à cadeira de psiquiatria da Faculdade de medicina do Rio de Janeiro.

______. Observações do inconsciente na obra de Machado de Assis. São Paulo; Separata da Revista da Associação Paulista de Medicina, v. XV, set. 1939.

VALVERDE, Maria de La Concepción Piñero. “'Cosas de España' em Machado de Assis e Outros Temas Hispano-Americanos”. São Paulo: Giordano, 2000.

VARA, Teresa Pires. A Mascarada Sublime. Estudo de Quincas Borba. São Paulo, Duas Cidades, 1976.

______. Humanitas: um signo em busca de significado. São Paulo: Duas Cidades, 197[4].

VELINHO, Moisés de Morais. Letras da província. Porto Alegre; liv. Do Globo, 1944.

______. Machado de Assis, aspectos de sua vida e de sua obra. Porto Alegre, Liv. do Globo, 1939.

______. Machado de Assis, histórias mal contadas e outros assuntos. Rio de Janeiro; Liv. São José, 1960.

______. "Machado de Assis e a Ablição". Estudos. Porto Alegre, 1953.

VENANCIO FILHO, Alberto. Machado de Assis Presidente da Academia Brasileira de Letras. Academia Brasileira de Letras, 2009. 101p.

VENANCIO FILHO, Paulo. Primos entre si : temas em Proust e Machado de Assis. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2000.

VERÍSSIMO, José. Estudos Brasileiros. Rio de Janeiro, Laemmert, vol. 2, 1894.

______. Estudos de Literatura Brasileira. Rio de Janeiro, Garnier, 1901-1907.

______. Histórias da Literatura Brasileira. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1916.

______. Letras e Literatos. Rio de Janeiro, José Olympio, 1936.

______. História da Literatura Brasileira de Bento Teixeira a Machado de Assis. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves, 1916.

______. História da literatura Brasileira de Bento Teixeira a Machado de Assis. Rio de Janeiro: Topbooks, 1998.

VIANA Filho, Luiz. A vida de Machado de Assis. São Paulo; Martins, 1965.

______. A Vida de Machado de Assis. Porto: Lello & Irmão, 1984.

VIANNA, Glória. Revendo a Biblioteca de Machado de Assis. IN: JOBIM, José Luís. "A Biblioteca de Machado de Assis". Rio de Janeiro. ABL / Topbooks. 2000.

______. “Revendo a Biblioteca Machado de Assis”, em José Luís Jobim (org.), A Biblioteca de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Topooks, 2001.

VIANA, Paulo Sergio, “Prezento”, em Machado de Assis, La Alienisto, Chapecó, Santa Catarina, Fonto, 1997, pp. 5-7 [tradução de O Alienista ao esperanto por Paulo Sergio Viana].

VIEIRA, Anco Márcio Tenório. “Gilberto Freyre, leitor de Machado de Assis” em Interpretações do Brasil: Encontros e Desencontros. João Pessoa: UFPB, 2002.

VIEIRA, Anco Marcio Tenório, “Ziembinski e o Teatro de Machado de Assis”, Encontro, Recife, n. 9-10, 1994, pp. 16-18.

VILLAÇA, Alcides. “Várias Histórias de um Mestre”, em Machado de Assis, Várias Histórias, São Paulo, Ática, 1997, pp. 3-5.

VIRGILLO, Carmelo. 'Love and the "Causa Secreta" in the Tales of Machado de Assis". Hispania. Washington , 1949.

______. Correspondência de Machado de Assis com Magalhães de Azeredo. Rio : INL, 1969.

VÍTOR, Nestor. A crítica de ontem. Rio de Janeiro: Leite Ribeiro & Maurílio, 1919.

WANDERLEY, Márcia Cavendish, A Voz Embargada: Imagem da Mulher em romances Ingleses e Brasileiros do Século XIX, São Paulo, Edusp/Com-Arte, 1996, pp. 73-99 [referências: Cristiane Costa, “Da Inglaterra aos Trópicos”, Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 8 mar. 1997; Sandra Aguiar, “As Palavras Sufocadas”, A Gazeta, 7 maio 1997].

WEHERS, Carlos. Machado de Assis e a Magia da Música, Rio de Janeiro, 1997, 160 p.

WERNECK, Maria Helena, “Dois Historiadores e um Biógrafo diante de um Disparate: O Teatro de Machado de Assis”, O Percevejo, Rio de Janeiro, ano II, n. 2, pp. 40-43, 1994.

WERNECK, Maria Helena, O Homem Encadernado – Machado de Assis na Escrita das Biografias, Rio de Janeiro, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 1996, 280 p. [referências: Afonso Romano de Sant’Anna, “As Múltiplas Vidas de Machado de Assis conforme narradas por Seus Biógrafos”, O Globo, Rio de Janeiro, 12 out. 1996; Leandro Sarmatz, “A Arte de Encadernar Espelhos”, Zero Hora, Porto Alegre, 11 dez. 1996].

WERNECK, Maria Helena. “Veja como ando Grego, Meu Amigo”, em GALVÃO, Walnice Nogueira & GOTLIB, Nádia Battella, “Prezado Senhor, Prezada Senhora: Estudos sobre Cartas”. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

WITKOWSKI, Ariane. “Santo Agostinho e Quincas Borba”, Leitura, São Paulo, n. 8, pp. 11-19, dez. 1999.

WOLL, Dieter. Machado de Assis. Die Entwicklung seines erzählerischen Werkes. Bonn, Georg Westermann, 1972.

XAVIER, Lindolfo. Machado de Assis no tempo e no espaço. Rio de Janeiro; Coeditora Brasíçica, 1940.

XAVIER, Terezinha Nucci. A Personagem Feminina no Romance de Machado de Assis. Rio de Janeiro, Presença, 1986.

XAVIER, Therezinha Mucci, Verso e Reverso do Favor no Romance de Machado de Assis, Belo Horizonte, 1994 [referência: “Professora Lança Livro sobre Machado de Assis”, O Estado de Minas, Belo Horizonte, 7 set. 1994].


Academia Brasileira de Letras - Todos os direitos reservados